16 agosto 2016

[Resenha] Quase Sem Respirar - Por Rebecca Donavan


Título: Quase Sem Respirar
[Breathing #2]
Autor (a): Rebecca Donavan
Páginas: 560
Editora: Pandorga
Skoob || Encontre

Sinopse: A luta de Emma contra uma vida doméstica abusiva chegou a uma conclusão sufocante nos capítulos finais de “Uma razão para respirar”. Agora todos de Weslyn sabem seu segredo, mas Carol não poderá mais feri-la.
Alguns ainda são assombrados pelo horror daquela noite, e alguns devem enfrentar as consequências de suas próprias escolhas.
Fãs do romance de estreia de Rebecca Donovan vão descobrir que ainda há muito a aprender sobre a vida de Emma.



Resenha Anterior
Breathing #1 - Uma Razão Para Respirar

Depois do inferno em que viveu na casa dos tios, Emma começa a respirar. Tudo parece estar nos eixos tendo Evan como seu namorado e sua guarda temporariamente com os pais de sua melhor amiga Sara. Anna e Carl são perfeitos para cuidar dela, e ainda conta com o constante apoio de Sara. Mas as coisas não podem ser perfeitas na vida de Emma. Desde que quase morreu, sua mãe, que a abandonou no inferno, volta querendo redenção propondo que vá morar com ela. Num momento de impulso Emma acaba aceitando, e quando percebe, já está morando novante com a mãe.

"Eu não havia dito mais do que meia duzia de palavras para está mulher nos últimos cinco anos, e agora eu morava com ela. Bem era assim que eu me sentia. Ela contou histórias sobre meus amigos e sobre viagens que fez como se estivesse falando com alguém que acabara de conhecer, e não com a sua filha."

Logo quando chega Emma percebe como será sua nova vida, quando encontra sua mãe bêbada e desferindo inúmeros xingamentos a ela, para na manhã seguinte fingir que nada aconteceu. Todos os dias ela vê a mãe com um homem diferente, e sempre que fica bêbada deixa bem claro o quanto a menina é seu desgosto. Até Jonathan aparecer. Ele é o mais novo namorado de Rachel, no qual é o único que parece estar durando.

"- Não, Jonathan. Nossas mentiras e trapaças nos tornam tão ruins quanto eles. Nós destruímos as vidas das pessoas..."

Assim como Emma, Jonathan também tem seus fantasmas do passado que o deixa sem dormir a noite. Com esse passado em comum, eles passam um tempo juntos nas madrugadas tentando apagar os horrores um do outro, tornando-se cada vez mais próximos. Rachel, mãe de Emma, continua com as ofensas gratuitas, e agora seu novo alvo é dizer que a filha deseja seu namorado. E mais uma vez Emma guarda para si, mas dessa vez as coisas podem ser diferentes.




Rebecca Donavan me deixou destruída com o final de Uma Razão para Respirar, não demorou muito e logo tratei de comprar o segundo para descobrir o que de fato houve. Não esperava ficar tão divida com o decorrer dos fatos.


O livro continua sendo narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista da Emma. Mesmo com tudo que sofreu com a tia, agora ela sofre abusos por parte de sua mãe. Não fisicamente, e sim verbalmente que vamos descobrindo que é tão feroz quanto. A grande questão aqui é Emma se submeter a isso. Com a tia ela não tinha opção de moradia, e encobria tudo por amor aos primos, só que com sua mãe ela mesmo escolheu, e ainda acha que merece tudo que está vivendo novamente. Isso me deixou profundamente irritada. Eu sei que tem algumas pessoas que não tem reação quando passam por isso, mas ela passou por algo terrível, viu que tem pessoas maravilhosas a sua volta, e mesmo assim escolhe sofrer. Mesmo com tudo ainda consegui me compadecer de sua situação.


Conhecemos agora a Rachel, mãe de Emma que a deixou com os tios após a morte do marido. Ela é uma pessoa odiosa e ridícula em todos os sentidos da palavra. Vive numa farra constante, sempre regada a bebidas e homens diferentes a cada noite, e guarda um rancor enorme da filha pelo marido ter amado mais a Emma do que a ela, e as formas como deixa isso claro deixou meu sangue fervendo e morta de vontade de por essa mulher no seu devido lugar. Acho que um belo resumo de quem Rachel é, seria uma mulher imatura que age como uma criança birrenta. As coisas ficam muito piores quando ela começa a namorar Jonthan.


Assim que Jonathan apareceu senti que não viria coisa boa. O cara é bem mais novo que Rachael e só a Emma pra não perceber que o ele estava afim dela. Tudo que ele falava, a suposta conexão que tinham, deixava bem claro essa atração. O que me deixou irada mesmo é Emma cair nessa papinho. Ela deixa com que ele se aproxime, mesmo sabendo que tem um namorado incrível ali pra apoiá-la, ela escolhe confiar em Jonathan.

“Ele é o único que entendia a escuridão dentro de mim, e eu podia contar coisas a ele que eu não contava para mais ninguém. De maneira egoísta, não queria abrir mão dele.”

Acredito de verdade que Evan é uma das melhores pessoas da vida. Ele continuou ali, sempre deixando bem claro que faria qualquer coisa por ela, e mesmo assim Emma o afasta não querendo que sua vida machucasse a dele. Não entendo, e jamais entenderei essa atitude ridícula. Evan é o cara que a salvou e está ali apoiando-a em tudo, ela resolve confiar seus horrores pra um cara que acabou de aparecer, só porque supostamente, ele entende o que é sofrer.


Não aparecem muitos personagens novos na estória, fora Rachael e Jonathan. Sara está aqui mais amiga do que nunca, e conhecemos um pouco mais seus pais, que são pessoas incríveis e amorosas. Algo que gostei bastante foi mostrar mais sobre o pai da Emma e a relação que eles tinham. O cara a amava demais, e faria qualquer coisa por ela, por poucos anos Emma foi amada mais do que ninguém. Foi bem legal ver esse passado sendo revelado e ela descobrindo que nem sempre a vida foi amarga.


Se no livro anterior tínhamos agressões físicas, aqui vemos agressões verbais. São xingamentos que diminuíam a personagem praticamente a nada. Os efeitos disso são desastrosos pois é tratado de forma com que ela merece cada uma das ofensas, até mesmo foi culpada de ter sido responsável pela morte do pai. Vemos claramente que palavras doem mais que agressões físicas, e somente por isso me compadeci da Emma, ninguém merece ser tratada assim.

“Era isso o que estava acontecendo, estava presa em um ciclo de pesadelo sem fim.”

A parte física do livro está espetacular. Continua no mesmo padrão do anterior com letras e espaçamentos em ótimos tamanhos proporcionando uma ótima leitura. A capa não me agradou muito trazendo a protagonista, mas achei mais bonita que a original. Com suas quase 600 páginas, eu praticamente devorei o livro. A escrita da autora é fluída e os acontecimentos decorrem num ritmo próprio que nos deixa aflitos pra saber o que vai acontecer, e quando chegou no final fiquei arrasada mais uma vez e doida pra saber o que vem a seguir.


Mesmo com todas minhas frustrações e irritações com a personagem, o livro conseguiu ser tão bom quanto seu antecessor e não vejo a hora de ler o próximo. Rebecca Donavan nos mostra as várias facetas de uma pessoa que sofre abusos e nos faz refletir como lidaríamos nessa situação. Cheguei a conclusão que só quem passa pode entender, mas é tão real e cruel que me deixaram com lágrimas nos olhos. Recomendo a leitura a todos que gostem de uma estória com uma carga a mais. Vale muito a pena ler.

20 comentários:

  1. Olá
    nossa, é um livro enorme, e pelo que pude perceber, com um alto teor de drama pelo caminho. Bom, eu não conhecia nem esse e nem o primeiro volume, mas já fiquei bem curiosa para conferir mais sobre os personagens. Gostei bastante dessa capa e com certeza espero poder ter a oportunidade de ler também. Obrigada pela indicação!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Quando li o primeiro, chorei muito! Aquela parte em que a tia agride ela na cabeça... Caramba, eu pensei que nao fosse aguentar terminar a leitura, acabei abandonando essa série por achar ela forte demais pra mim, que sou baitamente chorona, acabei pegando spoiler do terceiro e descobri que a coisa fica pior. :(
    Vi que seu blog também foi selecionado pra ser parceiro da Rocco, eu havia reclamado que nao recebi o email deles, e você respondeu que também nao tinha recebido, eles mandaram semana passada mas foi parar no spam! Da uma olhadinha ai que já tem informação bacana! Adoro seu blog.

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem? Acho bacana a autora abordar as formas que uma pessoa pode ser agredida já que no primeiro livro ela aborda agressões físicas e nesses verbais que aa vezes causam mais estragos e dor do que as físicas. Espero que no final Emma consiga ser feliz.
    Bj

    ResponderExcluir
  4. Fiquei curiosa master com o primeiro livro e acho que vou me sentir como você se sentiu: destruída. O livro é bem grande mesmo, mas acho que se a história nos ganha fácil, o numero de páginas é detalhe.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Sté.
    Eu tive que reler a outra resenha do primeiro livro para lembrar-me da história e me irrita profundamente também que Emma acaba afastando Evan, "só porque ela não quer que ele sofra por ela". Isso é ridículo! Detesto personagem que dá brecha para qualquer um e se faz de santa, ou que não entendeu bem a mensagem das coisas. Acho que iria me irritar muito com ela e fiquei agora com um pé atrás se leria ou não o livro.
    Quem sabe um dia...
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  6. Olá,

    Sempre quis ler o primeiro livro dessa série, mas ainda não tive oportunidade. Gostei muito do romance que parece permear a obra e adoro essas histórias mais chicletes e emotivas. Vou investir na história futuramente, sem dúvidas.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  7. Olá Stéfani,
    Tenho muita curiosidade em ler os livros dessa trilogia, mas ainda não tive oportunidade. Curti muito sua resenha e fiquei bem contente em saber que o livro te agradou. Detesto agressão de qualquer tipo e sei que detestarei a agressão verbal que temos nessa obra, mas isso não diminuiu o brilho que a obra parece ter.
    Parabéns pela incrível resenha e fotos. Dica anotada.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Nunca tinha viso falar desses livros, em que mundo eu vivo? :O
    Adorei a premissa desse livro, principalmente em saber que a temática é bem pesada e tem o fator da agressão física e verbal, que eu estou doida pra ver como isso foi trabalhado na obra.
    Enfim, vou logo conferir o livro 1 porque eu adorei a sua resenha

    ResponderExcluir
  9. Oiee ^^
    Eu ainda não li o primeiro livro, mas vi coisas muito boas a respeito dele, e saber que o final tinha te deixado destruída me animou ainda mais. Leitor gosta de sofrer, né? kkk' Eu dei uma pulada na sua resenha, mas peguei o finalzinho...hehe' Fico feliz em saber que, mesmo sendo um livro grande, você devorou e gostou bastante, estou curiosa para conhecer a escrita da autora e a personagem. Eu sou doida por livros com cargas emocionais pesadas, por mais que eles me deixem para baixo O.o
    MilkMilks ♥
    Milkshake de Palavras

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Conhecia essa série só de nome não sabia que tinha uma trama tão forte. A protagonista parece sofrer muito e só pela sua resenha já fiquei com o coração apertado por ela. Li também a resenha do primeiro livro e fiquei bem curiosa pra conhecer a história.
    Adorei sua resenha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá amore...
    Já havia lido alguns comentários a respeito dessa autora... e sempre são positivos..
    Amei a capa do livro... um primor.
    E a história parece ser bem reflexiva... Curiosa pra conhecer um pouco mais sobre Emma e essa sua mãe.
    Lindíssimas fotos, parabéns!
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olha, agressões físicas e agressões verbais são coisas que dificilmente eu consigo suportar numa leitura, nem sei o que acho pior, mas não acho que essa série seja leitura para mim. Pelo menos tem essa parte do pai da Emma revelada pra ela lembrar que a vida nem sempre foi amarga, mas realmente acredito que não daria conta do enredo, então passo a dica.

    ResponderExcluir
  13. OLá, tudo bem?
    Já ouvi falar bastante dessa trilogia, mas nunca tive coragem de lê-la. Gostei de saber sua opinião sobre o livro, e me identifico com sua forma de pensar. Este é um livro que mexe com nosso emocional, e acho que vou me preparar mais um pouquinho antes de arriscar a leitura. Amei a resenha.

    Beijos,
    Dai | Blog Virando a Página

    ResponderExcluir
  14. Oie, nunca havia visto esse livro antes do seu post. Gostei do plot, achei a capa bacaninha, mas não gostei de saber que é uma trilogia, tenho fugido desse tipo de livro. Um pouco por falta de grana outro por falta de espaço. Esse é um fator determinante pra mim nesse momento. Mas anotei a dica, e assim que as coisas melhorarem por aqui, irei procurá-lo.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  15. Oii!

    Fui ler a resenha do primeiro volume e fiquei ansiosa para ler, agora quando li a resenha do segundo, serei obrigada a ler o primeiro. Não conhecia a trilogia e fiquei curiosa para conhecer e com certeza merece ser lido.


    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro é confesso que ao ver que se tratava do volume 2, meio que desanimei, sabe? Mas lendo sua resenha fui ficando curiosa e com o coração partido. Essa personagem sofreu muito, em? Que autora cruel kkkkk Mas realmente parece ser uma história com boas mensagens. É interessante ser abordado um tema tão importante quanto o abuso e ainda mais ver que dessa vez foi abordado as agressões verbais, que realmente conseguem ser tão ruins quanto as físicas, até mesmo piores. Enfim, a protagonista não me pareceu ter atitudes tão cativantes, mas imagino que vale a pena conhecer a história.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  17. Adoro dramas,ainda mais quando tenho certeza que irão me fazer chorar e esse parece ser exatamente esse tipo
    parece ser um livro bem grande e cheio de emoções mas fiquei confusa algumas partes mas deve ser porque eu não sei nada do primeiro livro mas irei ler a resenha para ficar a par de toda a historia direitinho

    ResponderExcluir
  18. Relacionamento abusivo entre mãe e filha é algo muito destrutivo. O tema é forte, mas o livro me parece muito bom. Só de ler a resenha já tive uma enorme empatia pela Emma, embora ela transmita uma certa ideia de fraqueza, e concordo com você, acho que as ofensas verbais, por vezes, são piores que as físicas. Até fiquei interessada em fazer essa leitura, mas por se tratar do segundo livro, precisarei ler o primeiro antes.

    Tatiana

    ResponderExcluir
  19. Hi baby, tudo bem? não conhecia esse livro e ainda não li o primeiro mas achei interessante a forma que a autora aborda a triste realidade de muitas mulheres, parece ser um livro necessário para nós! adorei sua resenha <3 vou add a minha lista de futuras leituras

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  20. Oi Stéfani, tudo bem?
    Eu não conhecia o livro ainda e devo dizer que chamou muito minha atenção, eu gosto desses livros que tenham uma carga emocional grande e esse parece trazer uma ótima proposta, por isso tenho certeza que leria ele sim, e até espero que seja bem em breve. Ótima resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir