19 agosto 2016

[Resenha] Relações de Sangue - Por Martha Argel


Título: Relações de Sangue
Autor (a): Martha Angel
Páginas: 256
Editora: Giz Editorial
Skoob || Encontre

Sinopse: Maria Clara Baumgarten levava uma vida bem normal, até conhecer a vampira Lucila, cujos olhos castanhos grandes e inocentes enganariam até o mais desconfiado dos humanos, quanto mais a pobre Clarinha.
Um vampiro traz o outro, e logo ela está às voltas com Daniel, um inescrupuloso vampiro de programa. Moreno, alto, bonito e sensual, ele precisa da ajuda da humana e da vampira para encontrar o assassino em série que está atacando suas "clientes".
Mas... e se o assassino encontrar Clara primeiro?




Hey, hey, leitores e leitoras, teimosos e teimosas, a Lady Trotsky acabou de chegar com a primeira resenha, neste blog, de um livro deliciosamente estupendo!
 
Sim, gente, estou trazendo a resenha do primeiro dos três romances da minha amiga escritora, e bióloga de aves favorita desde sempre, Martha Argel, em seu romance de estréia, Relações de Sangue. Como certamente vocês já viram antes da resenha, respondam: qual é a chance que isso tem de dar estupendamente errado e ao mesmo ser tão surpreendente?

Eu tenho pelo menos mil jeitos de responder essas "marotíssimas" perguntas. No entanto, algumas dessas respostas vêm com pelo menos milhões de spoilers. E o que eu desejo é que, após terminar de ler essa resenha, você vá loucamente em busca desse livro e o leia. Por quê?

Porque Martha Argel conseguiu, na época em que publicou esse romance, a façanha de criar uma protagonista absurdamente realista, que poderia ser qualquer pessoa que nós conhecemos. (Certo, minha bravíssima gente, sei que soou estranho, mas de lá para cá muita coisa mudou em relação a isso e quem é leitor sabe muito bem.) De tal forma que eu, na extensão do livro, me coloquei no lugar dela umas quantas vezes. Isso se você não contar com o fato de que ela é uma pessoa normal enfiada até o pescoço (ops, escolha infeliz de palavra) em uma situação que foge de qualquer coisa parecida com costumeiro. E que tem duas presas e muita sede. O quão ruim isso pode ser? E quanto pior isso consegue ficar?

"[...] e me olhou como se eu fosse uma criança dizendo 'advinha, mamãe, hoje brinquei com a moto serra do papai'".

Antes que eu responda, ou tente responder, essas outras "marotinhas" perguntas, vamos comentar sobre a diagramação do livro...

Um mimo, é o que é. Fonte bonita e excelente de ler, design de capa (olhe acima) absolutamente brilhante. Observem o anúncio e a tag nela. Belo jeito de atrair leitores, não acham? Claro que isso de nada adiantaria se a história fosse um fiapo cheio de coisa mal feita. E garanto, brava e teimosa, esse livro passa longe disso.

Mal começando o livro, temos uma descrição sucinta, mas não pouco detalhada, sobre a rotina de Maria Clara Baumgarten, ou simplesmente, Clarinha. Professora de biologia que resolveu não dar mais aula, mas em compensação se incomoda igualmente com trabalho de tradução, que é de onde ela tira o sustento mensal. Bem, gente, essa é a realidade de muitos que são bons com idiomas, mas horríveis em dar aula. (Sim, gente, essa é totalmente eu. Exceto que não trabalho, infelizmente.)
   
Ela é decididamente a protagonista mais adoravelmente cabeça dura que você verá em muito tempo. Porque apesar de todo o perigo que ela passa durante o livro, ela ainda sim tenta manter algum controle sobre a já muitíssimo bagunçada vida dela. Por que estou comentando isso? Porque algumas vezes ocorre de alguns autores jogarem o personagem nesse tipo de situação e nem ao menos se dão ao trabalho de tentar fazê-lo o menos dependente possível do vampiro. E não raras vezes esses personagens não chegam sequer a ter uma personalidade minimamente desenvolvida. Ou se tem, é tão apagada que dá raiva. (Sim, estou olhando para algo cujo nome não vou dizer para não criar treta.)


"Um vampiro trás o outro, o primeiro pode demorar, mas depois de algum tempo sua vida fica cheia deles".

É claro, porém, que como o título do livro é Relações de Sangue e a gente sabe que a sinopse envolve vampiros, não podíamos esperar alguns capítulos para eles aparecerem, certo? Absolutamente. Já que a Clarinha sai dos devaneios que só gente entediada tem com a campainha dando alarme às duas e um tanto da manhã. Isso que só foram umas cinco páginas.  Adivinhem quem veio para jantar? (Ba dum tass.) Sim, gente, um vampiro. Moreno, alto, bonito e sensual... (continue cantando se você conhece esse “crássico” dos anos oitenta), mas, ainda sim um chupador de sangue. E precisando de ajuda. Como é? Sim, você não leu errado.

O rapaz chega na aparentemente maior inocência querendo um lugarzinho para passar o dia. Eis que a nossa protagonista tem certeza de que há uma mosca varejeira nessa sopa. Só que o cara é lindo demais para ignorar. Ajuda que certa vampira baixinha, morena e de grandes e inocentes olhos castanhos liga para garantir que está tudo bem e que as intenções dele são realmente boas embora ele não valha muita coisa. Só que como uma coisa inevitavelmente leva a outra, a ajuda da Clara pode ser essencial para evitar que a situação vire uma bola de neve rolando montanha abaixo.

“Senti meus lábios em seu pescoço, seu gosto em minha boca, seu sangue quente. Alto e sensual, quero fazer parte da sua vida, e fazer você sonhar o que nunca sonhou.”

Se você ficou atento à sinopse do livro, certamente já sabe que estamos falando de Lucila, a vampira que virou amiga da Clarinha. De modo demasiado decidido, uma personagem que te deixa dividido entre amá-la ou odiá-la. Porque apesar dela ser muito cara de pau e não pensar duas vezes em usar os poderes dela para coisas muito escusas (sim, gente, matar é uma delas), ela demonstra uma real preocupação para com a Clara embora muitas vezes aja com uma má fé de fazer a gente quase morrer de raiva. (Isso vai ficar bem melhor colocado em Amores Perigosos.) Já falei sobre como Clarinha tenta manter algum controle sobre a própria vida? Bem, com a Lucila perto fazer isso é uma tarefa digna dos doze trabalhos de Hércules. Some isso a presença de um vampiro bonitão e "tcharã", isso vai dar merda. (Cante a musiquinha da Cris Nicolotti caso a conheça.)

Como se não bastasse dois vampiros em seu apartamento, ela se vê às voltas com uma trama detetivesca no melhor estilo série policial de tv. De novo, como é? Sim, gente, CSI, Criminal Minds, Divisão Criminal e todas e tantas daquelas séries que você passa um dia inteiro vendo no pc, canais a cabo ou Netflix. Ou as três coisas. Vamos explicar melhor? Sim, vamos. Daniel, o nosso (repita comigo a musiquinha), que é um “vampiro de programa”, perdeu várias clientes assassinadas. Como? Ninguém sabe. Autópsias inconclusivas. Por quem? Resposta não encontrada. Ainda. Claro que a Martha Argel não podia deixar de nos explicar direitinho, e bem escrito, a situação envolvendo Daniel e elas, na maioria damas da alta sociedade que pagam uma grana preta para receberem prazer. Quanta coisa pode-se refletir disso. Quanta coisa sobre vida entediante, frustração, auto realização. Muita, eu garanto. Isso, porém, vai de cada leitor.

"E por que não, Clara? Todo mundo tem suas fantasias sexuais. Por que alguém deixaria de tê-las por causa de profissão, idade ou posição que ocupa na sociedade?"  

Mais uma adivinhação para o público leitor: quem será a nossa isca? Se responderam Clarinha, ganharam um chocolate. É pessoal, acharam mesmo que ela não se meteria em encrenca? Não apenas ela, por insistência da Lucila, aceitou ajudar e servir de isca, como também resolve fazer uma investigação por conta própria para tentar chegar ao fundo disso um pouco mais rápido, já que quanto menos tempo ela ficar perto de Daniel, melhor para ela. Ou será que não?

“Ou será que não?”, mas por que, dama teimosa? Porque Clara descobre bem mais sobre si mesma do que ela realmente gostaria. Sabe quando você percebe um lado seu que nem nos mais loucos sonhos você seria capaz de imaginar que possui? É o que acontece quando ela tem de se encontrar com o assassino em série que anda fazendo o terror da cidade. E sem sombra de dúvidas, o Daniel adoraria se aproveitar dessa descoberta. De que jeito? Spoiler, mas garanto que as coisas ficam muito encrencadas lá perto do fim do livro. Ah ficam. E a Lucila vai se obrigar a tomar uma decisão muito indesejada apesar de que não é tão assim se a gente considerar os motivos. (No spoilers! *Insira aqui a voz da Edna Mode.*) Porque, como eu disse, quando uma bola de neve rola montanha abaixo... vocês entenderam.


"E por que não, Clara? Todo mundo tem suas fantasias sexuais. Por que alguém deixaria de tê-las por causa de profissão, idade ou posição que ocupa na sociedade?"  

E entre muitas trocas de farpas, investigações de todos os jeitos, encontros marcados em locais públicos, pistas que podem ou não levar a algum lugar, Clarinha ainda arruma tempo para continuar namorando (ou tendo um rolo, você decide) com o Estevão, que apesar de aparecer em poucas partes do livro, pelo menos se considerarmos o todo, é um personagem que se revela mais importante do que esperaríamos. Embora ele seja um doce de pessoa e alguém maravilhoso para a Clara, essa impressão é bastante mudada lá no final do livro. Se bem que se a gente observa os motivos e quem está por trás disso, diria que até é compreensível. Mas não menos chato. Convenhamos, né, gente, ninguém gosta de ser feito de bobo.

De que jeito, "abiguinhos"? Aí já estou querendo entrar fundo demais no terreno dos spoilers, mas garanto que o livro não perde o ritmo e o viço e a Martha escreve tão absurdamente bem que é impossível (em nível épico) parar mesmo quando a gente chega ao ponto onde a verdade precisa ser dita e suas consequências são igual merda atirada no ventilador. E não é só a Clarinha que vai ser atingida pela bomba de bosta (Potterheads, assemble!), posso dizer isso. E fico por aqui sobre esse maravilhoso exemplar da nossa literatura vampírica nacional.

Até a próxima resenha, onde eu pretendo guiá-los pela Mata Atlântica em busca do vampiro que mora nela. Ou quem sabe levo vocês à Itália para vivermos um amor perigoso.
Mas isso, vocês decidem.

19 comentários:

  1. Olá
    Confesso que achei a sinopse bem engraçada por conta do "vampiro de programa", afinal de contas é um detalhe bem diferente né?! Adorei sua resenha e fiquei bem curiosa sobre alguns detalhes, especialmente sobre Clara ser a isca, sobre o envolvimento de seu namorado e outros destalhes do cenário. Já comecei a imaginar algumas coisas rs.
    beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oiee ^^
    Eu ainda não conhecia este livro, e confesso que não sou muito fã de histórias com vampiros, lobisomens e coisas do tipo, mas você conseguiu me deixar curiosa. Sou louca por livros cujos protagonistas são pessoas reais, e não aqueles personagens perfeitinhos que a gente sabe que é impossível de existir, sabe? Enfim, eu não gosto de vampiros, mas este livro me deixou curiosa, gostei mesmo.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  3. Olá!! :)

    Eu nunca tinha ouvido falar deste livro, mas achei bem interessante... :) Eu gosto ate de mistério e todas essas intrigas...

    Mas não acho muito o meu género pelo desenvolvimento da trama... Mas achei uma leitura valida e com personagens reais, o que sempre adoro! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  4. Olá Renata,
    Ainda não conhecia a obra e, apesar de curtir bastante livros com vampiros não fiquei curiosa para lê-lo. Acho que faltou alguma coisa que me incentivasse a isso, não sei. Personagens reais é uma coisa bem bacana, pois conseguimos senti-los próximos de nós.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Adoro livros de vampiro, mas esse em específico me deixou um pouco confusa quanto ao que esperar. Quando li a resenha achei que fosse mais pro estilo policial, apesar do termo"vampiro de programa" ter me feito dar umas risadas. Não sei muito bem o que achar mas fiquei bastante curiosa e interessada em conhecer essa história.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi Renata! Já li vários livros sobre vampiros e sempre me senti envolvida pela trama, até porque os vampiros sempre têm um apelo sensual que vou te falar....rs
    Mas aqui, eu nunca tinha visto um livro que tinha um vampiro de programa, e isso me chamou atenção. Ainda ganhou 5 estrelas? Vou ter que ler!
    Parabéns pela resenha! =)

    ResponderExcluir
  7. Adorei sua resenha dei muita risada kkkkk.
    Amei a sinopse fiquei com muitaaa vontade de ler serio.
    Bju.
    Mary Reis

    ResponderExcluir
  8. Oi Renata!
    Não conhecia o livro e nem a sua amiga, autora. rs Já fico feliz que a diagramação e a fonte são boas, tenho dificuldades em fontes pequenas e espaçamentos loucos, que a gente encontra em alguns livros. Adoro quando livros fisgam o leitor ao ponto de não querermos mais soltá-lo, adoro vampiros e adorei toda a trama que você nos apresentou maravilhosamente. Fiquei bem curiosa pra saber o desfecho (quer dá spoiler? rs). No entanto não é um livro que me entusiasmei pra ler agora, quem sabe um dia?!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Quem não conheceu ainda, leia e tire suas conclusões. É tudo o que posso dizer nesse momento.
    No mais, muito agradecida pelos comentários até agora. Vocês são umas queridas.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Em primeiro lugar, parabéns pela primeira resenha. Achei você mega bem humorada!!!
    Anda não conhecia o livro e como não curto vampiros, não vou nem tentar, mas vou passar a dica par as amigas que curtem.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Adoro enredos nos quais a protagonista é real, ao ponto de nos fazer identificar com ela! <3 Sou geralmente fisgada por narrativas assim, que surpreendem e envolvem uma investigação que acaba por se desenvolver justamente pela veia curiosa do personagem (rs). Claro que por haver vampiros meu interesse aumentou ainda mais! Hahaha. Já quero conhecer esse livro!

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi Renata, tudo bem?
    Não conhecia o livro ainda e me surpreendi por se tratar de uma história de vampiros feita por uma autora nacional. Creio que nunca li alguma obra que autores nacionais usassem como tema seres sobrenaturais e fiquei bem curiosa sobre como a trama irá se desenrolar já que a protagonista está envolvida em algum tipo de missão e adoro quando há um suspense policial no meio, deixa tudo muito mais intrigante e envolvente.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  13. Hi baby, tudo bem? estou meio cansada de livros com vampiros mas esse parece ter um senso de humor que muda a dinâmica dos vampiros! talvez eu dê uma chance! adorei a resenha <3

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  14. Querem conhecer o vampiro da Mata Atlântica ou viver amores perigosos na Itália? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    O mais votado será resenhado amanhã, XD.

    ResponderExcluir
  15. Oi!
    Nossa, faz tempo que não leio livros que tem Vampiro hein, a sua resenha me deixou até com vontade de voltar a ler mais sobre esses personagens tão darks e charmosos. Fiquei curiosa para ler esse livro e desvendar ou ao menos tentar desvendar os assassinatos e conhecer mais esses três personagens distintos. E também adorei a capa do livro! Bonita e criativa!
    Abraços
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  16. Que resenha maravilhosa foi essa? Deu até vontade de te bater pelas perguntas sem respostas haha Brincadeiras a parte, vampiros, eu simplesmente amo vampiros, e me interessei imensamente pelo livro (interessei imensamente, pode-se usar isso? kkk).
    Gostei muito do fato que o vampiro precisa da mulher, e não ao contrário, pois, vamos ser sinceros, isso já encheu!
    E o fato mais mega foda: O livro é nacional! Não sou acostumada a ler livros nacionais, mas com certeza irei ler esse!
    Outro fato mega foda: A protagonista é real!
    Não tem como esse livro ser ruim, necessito ler kk <3

    Beijinhos...
    Desencaixados

    ResponderExcluir
  17. Que resenha bem expressiva, amei! Não conhecia a obra nem a autora, parabéns a sua amiga por aparentemente conseguir criar um livro tão bom, adorei ela ter criado uma personagem realista e conseguir inserir o leitor na trama logo de inicio, gosto de histórias com vampiros, e percebo que a narrativa da autora ira valorizar todo o cenário, quero ler

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia a obra e confesso que achei a premissa dela um pouco estranha, mas ao mesmo tempo curiosa. Eu não sou fã de vampiros, o que não me deixa muito animada com histórias sobre esses seres. Mas esse romance parece ser tão diferente e pela sua resenha tão bacana, que estou aqui com vontade de ler.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Não conhecia a autora e nem o livro, mas fiquei muito empolgada com a sua resenha. A história parece ser bem elaborada e os personagens estão bem construídos. Amo livros de vampiros e quando a autora cria um cenário crível fico mais curiosa para ler.
    Adorei a sua resenha.
    O livro já está na minha lista de desejados.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir