21 outubro 2016

[Resenha] O Inferno de Gabriel - Por Sylvain Reynard



Título: O Inferno de Gabriel
[O Inferno de Gabriel # 1]
Autor (a): Sylvain Reynard
Páginas: 542
Editora: Arqueiro
Skoob || Encontre

Sinopse: A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher.
Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites.
O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados.
Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer.
Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir.

 Julia Mitchell é  uma garota pobre e tímida que vai fazer mestrado na Universidade de Toronto. Lá encontra um homem do seu passado, um renomado professor especialista em Dante, que aparentemente não se lembra dela. O professor, Gabriel Emerson, é extremamente rígido e chega a ser grosseiro no começo do livro. Ele se culpa e se pune por erros que cometeu no passado. É um personagem complexo pelo qual você se apaixona no decorrer da estória.

Por outro lado, achei que o(a) autor(a) (Sylvian Reynald é um pseudônimo, não sabemos se o autor é homem ou mulher) exagerou nos clichês com a personagem principal, Julia. Ela tem que lidar com traumas do passado, frutos de uma infância negligenciada pelos pais e de um relacionamento abusivo. É o estereótipo da garota inocente e virginal, que precisa de proteção.

E o(a) autor/autora tenta comparar a personagem com a Beatriz, de “A Divina Comédia”, lhe atribuindo uma personalidade beatífica, o que considerei um pouco forçado porque o único ato de bondade da personagem é deixar que os outros a tratem como lixo sem se defender. Outro aspecto que também me incomodou é que a Julia tem vergonha de ser pobre e  virgem, não entendi o motivo. Sem contar que, apesar de ser pobre, ela se mostra mimada em alguns momentos, como conhecer e gostar de coisas caras.

"- Eu tenho um problema com a raiva, Srta. Mitchell. Tenho um péssimo temperamento. Não sei controlá-lo e, quando perco a cabeça, posso ser muito destrutivo.Julia arregalou os olhos ao ouvir aquela declaração e sua boca se abriu um pouco, mas ela continuou calada. -Não seria... nada apropriado se eu perdesse a cabeça perto de alguém como você. Seria muito prejudicial para nós dois.O que ele dizia era tão honesto e assustador que suas palavras a queimaram como fogo.- A ira é um dos pecados capitais - comentou ela e desviou o olhar para a janela, tentando aliviar a chama que ardia em seu corpo. Ele riu com amargura.- Incrivelmente, tenho todos os sete. Não se dê ao trabalho de contar. Vaidade, inveja, ira, preguiça, avareza, gula, luxúria."



Dos personagens secundários podemos destacar Paul, Chista e Rachel.

Paul é assistente do professor Emerson e começa uma amizade com a Júlia também nutrindo interesse. A única coisa que me incomodou em relação a ele é o apelido que deu a Júlia: Coelhinha, por considerá-la frágil e indefesa. Chista é outra aluna que também pretende se especializar em Dante e faz de tudo para seduzir o Gabriel. E por fim, Rachel é irmã do Gabriel e melhor amiga da Júlia, ela quem acaba por aproximar os dois fazendo com que o Gabriel passe a tratar a Julia com mais gentileza.

A princípio o Gabriel é grosseiro com a Júlia e demonstra não ter paciência com seu jeito desastrado. Já ela não sabe se ele realmente não se lembra dela ou se está fingindo, ficando sem saber o que fazer com a situação.


"Ela apertou a mão de Gabriel e fitou seus olhos, instigando-o a lembrar.- O que foi, Gabriel? Pareço com alguém que você conhece?A expressão em seu rosto desapareceu tão rapidamente quanto havia surgido e ele balançou a cabeça, sorrindo para ela com indulgência. - Foi só um devaneio passageiro. Não se preocupe, Srta. Mitchell, nossa dança está quase acabando. Você logo se verá livre de mim. - Quem me dera isso fosse possível - murmurou ela. - O que disse? - Gabriel tornou a colar sua testa à dela.Sem pensar em como aquele gesto seria íntimo, ele soltou a mão de Julia e afastou devagar um dos cachos do seu cabelo, os dedos se demorando muito mais do que o necessário no pescoço dela. - Você é linda - sussurrou ele."


A narrativa é em terceira pessoa sobre o ponto de vista da Julia, e alguns pensamentos dela aparecem em primeira pessoa. O(a) autor(a) escreve muito bem e a leitura fluí, é um livro rápido e fácil de ler. Também achei a estória muito bem elaborada e desenvolvida. A edição física do livro é lindo, com orelhas e folhas amareladas que facilitam a leitura e as letras têm um tamanho ótimo. A tradução foi muito bem feita.

Me interessei pelo livro por fazer referência a Divina Comédia. E realmente faz muitas referências históricas e culturais interessantíssimas. Pelo que vejo nos grupos e blogs, as pessoas amam ou odeiam esse livro, eu, particularmente, não gostei e não leria a continuação porque a personagem principal, Júlia, me incomodou. Não consegui me identificar com ela. Mas a maioria das pessoas amou, então nada como ler e tirar as próprias conclusões. Se você não se incomoda com o clichê da mocinha inocente e virginal e gosta de cenas hot, com certeza esse livro é indicado para você.

20 comentários:

  1. Olá
    Confesso que tentei ler esse livro, mas a leitura não fluiu muito bem comigo, e até acabei dando a obra pra uma amiga. Eu finalizei e tudo, mas não quis continuar a série, justamente por não ter me agradado. Agora, preciso concordar que eu também me interessei por conta das referencias da divina comédia. Sobre a Julia, nossa, não gostei nem um pouco dessa personagem..
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    O livro não me atrai, por conta dos personagens serem meio "padronizados", o homem sério que se revela um ser incrível, e a mocinha virgem e que se deixa ser humilhada. A parte que me demonstrou um maior interesse foram as referências a divina comédia, não seria uma leitura que colocaria na lista de desejos.
    Beijos,Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá. Gostei de ver suas considerações e concordo com ser um personagem um pouco batido, mas eu amei o livro. Li há bastante tempo, época que eu estava descobrindo esse gênero entao pode ser que hoje tenha mudado, mas achei interessante alem de amar as referências a divina comédia. Deu vontade de reler agora kkkk beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi.
      Eu acho que meu problemas foi justamente esse.
      Eu li vários livros em sequência com a mesma "fórmula".
      Tanto que dei um tempo no gênero. Espero ser menos crítica quando voltar a ler.

      Excluir
  4. Oi Bárbara! Eu tenho esse livro aqui, mas nunca tinha parado nem pra ler a sinopse. Fiquei receosa com descrição da personagem, Julia, esse "modelo" de protagonista meio que já deu. Ficou até forçado, né? E ainda mais ter vergonha de quem é, meio sem noção. Não curti muito isso não. Contudo, gostei saber que tem muitas referências históricas. Como eu tenho o livro irei dá uma chance, só não sei quando. rs
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kamilla. Eu acho que é uma leitura que vale a pena. Fiquei morrendo de vontade de ler A divina Comédia quando li esse livro.
      Se você conseguir se desligar da personagem principal provavelmente vai gostar.
      Por exemplo, a Kelsey da Maldição do Tigre me irritou muito também. Mas consegui ler e amar os livros mesmo assim.
      Mas com a Júlia eu não consegui, acho que é porque eu li muitos livros que usavam a mesma "fórmula" na personagem principal.

      Excluir
  5. Sabe que quando o livro foi lançado e eu o li, amei. Não sei bem porque mas alguma coisa me pegou na narrativa e eu devorei o livro - assim aconteceu com o segundo e o terceiro. Mas agora, lendo sua resenha realmente existe alguns clichês no livro que podem irritar e talvez, se eu lesse ele agora - depois de tantas outras leituras - minha opinião poderia ser bem diferente...
    Fiquei querendo o box *--*
    Porque quando ele saiu eu já tinha os 3 livros...rs
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lica.
      Eu acho que foi justamente por isso que a Júlia me irritou tanto. Eu li muitos livros que usaram a mesma "fórmula" com a personagem principal e acabou ficando enjoativo.
      Beijos.

      Excluir
  6. Como você bem disse, nada melhor qdo que ter a sua opinião pessoal sobre a trilogia, ou pelo menos, o primeiro volume. Eu tenho os três livros na estante, mas nunca me interessei em ler, talvez mais pra frente, mas confesso que sua resenha me deixou um pouquinho menos interessada na obra.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ivi.
      Como eu disse, é um bom livro. Só a mocinha é bastante clichê e eu, infelizmente, não consegui me desligar disso para aproveitar a obra.
      Mas creio que a leitura vale a pena.
      Beijos.

      Excluir
  7. Já vi algumas resenhas desse livro por aí e pra ser sincera, a trilogia não me chama a atenção em nada. Acho que por eu estar fugindo do tema, não fui muito atraída por ele. Seus comentários foram ótimos, foi bom saber um ponto de vista diferente e sincero. Apesar dos clichês, para quem gosta, pode ser sim uma boa pedida.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Já li a obra e concordo com você que é muito bem escrita e flui rapidamente, demorei apenas um dia para ler.
    As citações sobre a Divina Comédia são bem interessantes de acompanhar e também achei meio contraditório a personagem ser pobre mas conhecer e gostar de coisas bem caras.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem? Eu li a trilogia toda por pura insistência é digo uma coisa os outros dois livros são ainda piores e a Júlia consegue ficar ainda mais insuportável. Nossa eu terminei os livros e levei eles para um sebo para trocar porque realmente são livros que me arrependi de comprar.
    Bj

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    eu li esse livro já tem um tempo e amei a trilogia. Confesse que a Julia me irritou bastante, mas isso não me desmotivou a ler. Fora que conhecer mais sobre Divina Comédia foi muito interessante para mim. Adorei a trilogia e recomendo a leitura a todos.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  11. Não gosto de cenas hot e esse foi o motivo que me fez desistir de ler essa série assim que comecei a ler resenhas. Mas mesmo que essas cenas não existissem, eu desistiria da leitura por causa da Julia. Acho que eu teria muita dificuldade de entender uma pessoa assim, essa vergonha de ser virgem e pobre realmente não faz sentido e ia querer socá-la quando deixasse as pessoas a tratarem como lixo sem se defender.

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Eu já vi esse livro por aí, mas confesso que o mesmo nunca chamou muito a minha atenção e lendo sua resenha agora eu descartei de cara a ideia de ler ele, pois acredito que não irei gostar da leitura também. A protagonista parece ser bem chatinha e não gostei do autor ter exagerado nos clichês com ela. Enfim, não é uma leitura que faria.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  13. Olá Bárbara,
    Ainda não li esse livro e confesso que não tenho a mínima vontade de conhecer essa história. A única coisa que me agradou nesse livro foi saber que há referências à Divina Comédia, uma obra que me intriga muito.
    Não me agradou Gabriel ter sido grosseiro e sem paciência. Sua resenha só afastou minha vontade de ler, mas não se sinta culpada, pois ela quase não existia.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  14. Olá, eu sempre via uma legião de fãs desse livro mas eu nunca me interessei por ele, só pela capa eu via que não fazia meu tipo e sua resenha só me fez reafirmar isso, estou cansada de tramas com personagens femininas frageis, desamparadas sem auto estima e fracas, mulheres podem e são extremamente fortes e eu gostaria muito de ver mais livros com personagens assim, então acho que passarei a leitura.

    ResponderExcluir
  15. Oi Bárbara, muito frequente acontecer dos livros hot oscilarem entre os que amam e os que odeiam. A linha entre eles é bem tênue. Uma pena que pra você não foi legal. Eu não li essas obras, mas tenho curiosidade. Quem sabe um dia... Abraços

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Sempre vejo resenhas positivas do livro, acho que essa é a primeira resenha que alguém fala que não leria a continuação e adorei ela por isso, sinceridade haha bom, estou com os livros na minha lista de futuras compras a algum tempo, mas não são livro que tenho tanta vontade assim de lê e por isso sempre vou deixando ele e comprando outro kkkk Não me incomodo com os clichês dos personagens, em alguns casos eu gosto disso kkk

    ResponderExcluir