28 novembro 2016

[Resenha] Boo - Por Neil Smith



Título: Boo
Autor (a): Neil Smith
Páginas: 336
Editora: Fábrica 231
Skoob || Encontre

Sinopse: Oliver Dalrymple é o típico “looser” americano: aos 13 anos, magro e pálido como um fantasma, está mais interessado em biologia e química do que em esportes e vida social. Um dia, enquanto se recupera de um dos frequentes episódios de bullying de que é vítima recitando a tabela periódica em frente a seu armário, ele desfalece para sempre. E é aí que sua verdadeira vida começa. O “céu” onde Oliver acorda depois do que acredita ter sido uma parada cardíaca em função de um problema congênito chama-se Cidade e é povoado por pessoas que morreram aos 13 anos, como ele e seu colega de escola Johnny Henzel, que chega dias depois de Boo à Cidade, trazendo notícias perturbadoras sobre a causa da morte deles. Notícias que mudam para sempre a percepção de Oliver Boo sobre sua personalidade e seu lugar no mundo. Elogiado pela crítica e adorado pelos leitores, Boo é um romance cativante sobre amizade, confiança, bullying e a difícil tarefa de ser adolescente.

Já pararam para pensar que tipo de pasta de dente iremos usar quando morrermos, ou como concertam algo quebrado lá no céu? Não, isso porque pensamos que quando morremos iremos para o paraíso, um lugar maravilhoso, no qual poderemos descansar eternamente. Mas em Boo conheceremos outro tipo de vida após morte, quando Oliver (que é chamado de Boo por ser tão pálido e parecer um fantasma) um garoto de 13 anos que adora ciências e não é tão sociável, esta inocentemente recitando os 106 elementos da tabela periódica em frente ao seu armário da escola, quando ele simplesmente morre, e vai para um lugar que não imaginava que existia, chamado Cidade, onde só moram meninos e meninas que tinham 13 anos quando faleceram, e conseguem sobreviver lá mais 5 décadas, mas sempre continuam com a mesma aparência de quando chegaram na Cidade.

''Neste livro que estou escrevendo para vocês, Pai e Mãe, sobre minha vida além-túmulo,vocês terão o fundamental. Um dia, espero descobrir um jeito de lhes entregar minha história''

Oliver acredita que deus, que ele chama de Zig, é um artista, que sempre envia objetos para a população do lugar, alguns são bem exóticos e sem um objetivo. Na cidade as coisas se concertam sozinhas, como por exemplo: se você quebrar um vidro, em pouco tempo ele volta ao seu estado normal, o que rende várias experiências ao protagonista. Também tem o grupo ''almas caridosas'', onde os voluntários recebem os renascidos recentes e os instruem, para que comecem a entender essa nova realidade.

''- Bom, toda sua vida americana acabou, meu bem -ela disse.- Mas sua vida no além está prestes a começar. Talvez você ache alguma espiritualidade aqui. ''

Como se já não bastasse esse lugar ser estranho por si só, Boo fica surpreso quando chega  Johnny Henzel, um menino que era de sua escola, falando que Boo não morreu por causa de um coração estragado, ou, pelo entusiasmo de decorar a tabela periódica, e sim porque teve um tiroteio na escola, onde um atirador matou alguns alunos e depois se matou. Todos ficam surpresos e preocupados, já que se o criminoso tivesse 13 anos estaria ali na Cidade, procurando por suas vítimas. Johnny tem pesadelos com o atirador, e quer encontrar ele para se vingar. Enquanto Boo não se lembra de nada, e depois descobre que quando alguém morre por algo trágico, Zig apaga suas memórias, teria sua morte sido tão horrível assim? Quem seria o culpado por sua morte?





Boo era um dos meus desejados e quando tive a oportunidade de lê-lo não hesitei, e não me arrependi. Criei muitas expectativas e todas foram superadas, não tinha lido nada do selo Fábrica 231, mas o objetivo deles é entreter, e realmente me entreteram, Boo é um livro para todas as idades, por motivos que irei ressaltar nessa resenha, e acreditem: Não dei 5 estrelas a toa, super me identifiquei com o livro, principalmente por também ter 13 anos, assim como o protagonista.

"Johnny me para na quadra esportiva.
-Você pode me fazer um favor, Boo?
-Um favor?
-Quando a gente pegar o Atirador, você pode ser forte?
Ele assume sua postura de boxeador, os punhos em guarda.
Aceno a cabeça, concordando
-Porque não tenho certeza de que eu vá ser."

O livro é narrado em forma de um relato de Oliver (Boo) para seus pais, contando a eles como está sendo a vida naquele lugar, conseguimos perceber como ele é inteligente e sistemático, gosta de explorar os mistérios que o cerca e ter provas de tudo que dizem. Eu gostei de ser em primeira pessoa. E se você pensa que a história do livro ira ficar parada durante as 336 páginas está enganado, temos muito mistério e a trama é bem pensada, até o certo é duvidoso, e o final, não fica muito claro sobre o que aconteceu, o que achei maravilhoso, esse livro perderia o encanto se todas as dúvidas fossem esclarecidas, mas só lendo para entender.


Pela cidade ser um lugar com pessoas que morreram aos 13 anos, eles não aproveitaram a vida, não sabem seu propósito e alguns precisam ser internados para saber lidar melhor com o que esta a sua volta. Por esse motivo também, os adolescentes querem sempre saber mais, e o maior objetivo em comum é encontrar um portal que possa os transportar de volta para a América. O livro apresenta muitas palavras ''inadequadas'' mas que fazem jus ao seu conteúdo, já que a maioria dos adolescentes de 13 anos fazem uso dessa linguagem, mas nas palavras temos "*" para que o livro não virasse um diálogo entre jovens, porém, fica óbvio o que estão querendo dizer.

"- Você deveria estar lá fora, procurando portais, Boo. Este é um experimento científico que vale a pena''

Eu amei Boo e toda sua perspectiva dos fatos. Ele sofreu muito na sua escola e tenta ignorar os acontecimentos, mas, por trás de sua máscara de ''menino forte'' consegui enxergar um garoto de sua idade: tenta ser inquebrável, mas sofre muito por dentro. Johnny me conquistou, é ele que fala as maiores baboseiras e comete muitos erros na trama, mas também sempre luta pelo melhor, quer encarar o Atirador e sabe que pode não se controlar quando encontrar ele. Ambos são garotos conquistadores, cada um com seu jeito de encarar a vida, mas que só queriam ser normais, ter uma vida considerada típica e morrer por causa da velhice ou doenças,nunca imaginaram que seus caminhos iriam se cruzar por causa de uma tragédia, que ao longo do tempo, só piora.


A Cidade é um lugar maravilhoso, porém, guarda muitos segredos. O que achei mais curioso é que o autor consegue ressaltar sempre o fato de que lá você amadurece por dentro, mas continua com a mesma fisionomia. O número da sorte deles é 13, por isso são divididos em 13 zonas. Zig é um deus que se tornou muito presente, não sabemos muito bem sobre sua estória e criação, mas no final do livro vários máscaras vão caindo. É nítida a fé que depositam nele.

''Naquele breve momento na rua, senti de fato uma certa identidade. Não sei se posso chamar isso de amizade. Compartilhamos realmente algo, mas não sei dizer o que foi.''

Neil Smith é loucamente incrível, conseguiu me mostrar diversos valores pessoais em uma trama que tinha tudo para ser um livro simples. Tudo que ele criou na obra é maluco, mas, enquanto estava lendo parecia tão real, e tão completamente óbvio, que ficava questionando o que estava errado naquela teoria. Quando contava sobre a estória para alguém, parecia que estava falando sobre algo louco e que a cada capítulo nos apresenta diversas reviravoltas, mas Boo é assim, quando você pensa que já acabou o drama, as próximas páginas lhe dão tapas na cara que são difíceis de serem aceitos por nossa sociedade, e não estou sendo crítica, mas a cada momento o livro te surpreendente ao inserir um novo tema, que mesmo sem você perceber, estava sendo trabalhado ao longo da trama.


O ponto mais forte, é também um tabu em nossa sociedade, que no livro ficaria: Bandido bom é bandido remorto? A população da Cidade não sabe como lidar com um suposto Atirador entre eles, seria um sinal de Zig para saber como irão lidar com o caso? Deveriam (re)matar ele ou lhe dar uma chance? Eu não consigo parar de elogiar a imprevisibilidade do livro, pois quando tudo parecia certo, e quando a trama estava encaminhando para seu fim, aparecia um obstáculo chocante pela frente. Também foi tratado amizade ,exclusão, também é mostrado como lidamos impulsivamente, e temos que tomar decisões perigosas pensando no próximo.


Além de uma obra arrebatadora, Boo também é uma excelente aula de ciências. Sempre antes de cada capítulo temos um dos elementos da tabela periódica, e também possuí dois capítulos em que Oliver fica irritado e começar a recitar TODA a tabela periódica! A capa é linda, onde mostra o armário de escola do Boo, que é o número 106,  com elementos vazados, e a orelha da capa encaixada com os olhos do personagem. Também não encontrei erros de revisão.

“Ultimamente, não tenho me sentido tão inteligente. Aqui, o conhecimento que tenho sobre amebas, nebulosas e fórmulas é inútil. O que eu preciso é o tipo de inteligência que me ajude a entender por que um menino deveria entrar numa escola e começar a disparar uma arma, por que uma vítima deveria perdoar esse menino, e porque outra jamais o faria.”

Temos personagens secundários que expandiram mais o universo. Preciso dizer que o autor conseguiu mostrar muito bem diversas relações pessoais, e o romance fica quase invisível. Li o livro super rápido, considerando o tempo que normalmente demoro, isso porque Boo me fisgou por completa, me deixou triste (sim, eu chorei muito), agoniada, com medo, angustiada, maravilhada e com fome.. Sim fome, não conseguia nem tempo para comer quando estava lendo, e isso é um caso seríssimo.


Temos várias piadas que não ficaram forçadas, e isso já daria ao livro meu reconhecimento, já que pela primeira vez, eu fiquei feliz de verdade enquanto lia. Aliás, como o personagem narra para seus pais os acontecimentos, ele sempre destaca o que é sarcasmo para que eles não se confundam, o que é bem dinâmico e divertido.

"- Boo! Que irônico!- Vocês podem dizer, porque agora seu filho é um fantasma."

Imprevisível e alarmante, Boo vai tocar seu coração, e lhe levara aos sentimentos mais distintos: felicidade e tristeza se confundirão nessa obra que é um mix de aventuras e mistérios, em um mundo completamente desconhecido, mas que pela naturalidade parece o bairro seguinte, e por um momento confundi o real do imaginário, e, realmente quis que existisse um lugar chamado Cidade, seria muito bom se comunicar somente com pessoas de sua idade, mas triste pela saudade de sua família. Os personagens se parecem conosco, mesma que isso tenha feito com que eu terminasse o livro chocada.



22 comentários:

  1. Olá
    Adorei poder conferir suas impressões a respeito desse livro. Eu também já fiz essa leitura e gostei bastante do desenvolvimento. Impossível não se emocionar, e concordo que é mesmo imprevisivel e repleto de sensações. A temática que envolve esse cenário surpreende bastante e o autor soube bem como apresentar os personagens e suas dramáticas. Eu também chorei em alguns momentos, mesmo porque tudo é tão reflexivo e profundo né?!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Maria. Que livro impressionante! Eu não sabia o que esperar da história, mas estou completamente chocada pelo mix de coisas que ela agrega. Com certeza irei procurar o livro para ler!
    Beijo, Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  3. Oi Maria!
    Quando o selo Fábrica 231 lançou esse livro, a primeira coisa que me chamou a atenção foi a capa, que realmente é muito bonita. Porém, quando fui ler a sinopse, essa curiosidade diminuiu um pouco.
    Agora lendo a sua resenha, percebo que a sinopse me enganou um pouco. Achei interessante essa questão deles não irem para o céu e sim para a Cidade, onde só tem jovens de 13 anos que já morreram.
    Fiquei curiosa também em relação ao atirador, para saber quem é ele.
    Gostei da sua resenha.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/2016/11/um-livro-ok-o-grande-gatsby.html

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não conhecia o livro e achei a premissa dele bem diferente. Infelizmente eu não me atrai para a leitura mas não posso negar que é uma obra que vai agradar muita gente, eu que não sou bem o público alvo dela. Achei as suas fotos bem bonitas e a capa do livro e fofinha.

    ResponderExcluir
  5. Olá
    Eu conhecia esse livro hoje pelo Skoob,;e já fiquei bem curioso pela sua premissa. Esse está sendo meu primeiro contato mais profundo com a obra e já amei o que eu acabei de ler na sua resenha. O enredo parece ser muito bacana, e pelo que li aqui envolve muito bem o leitor, o que já ganha ponto comigo. Realmente é um grande dilema quando se fala de bandido na nossa sociedade. Adorei essa capa também, até mais ver
    Bjks

    ResponderExcluir
  6. Fiquei pensando em todos os sentimentos que você teve com esta leitura e a forma empolgante que colocou estes sentimentos na resenha. Achei a premissa instigante e eu ainda não conhecia a obra e agora já quero ler o mais rápido possível.
    Adorei a dica
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá eu amei a premissa do livro apesar de fugir de todas as coisas que falam sobre vida após a morte rsrs. Amei suas fotos ficaram fantasticas e esse fantasminha eu quero na minha estante. Muito legal quando queremos muito ler uma coisa e todas as nossas expectativas são superadas né? Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá!! :)

    EU já ouvi falar sobre esse livro algures...! :) ahah E acho a capa mesmo muito linda!! Espero ler em breve..!

    Bem, adorei que o livro tenha piadas bem conseguidas e com "razão" no livro... E que o final nos deixe chocados.. Adoro!! :) ahah

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  9. A premissa é muito inovadora, nunca havia pensado em uma vida após a morte assim. O livro parece ser muito inteligente e divertido, assim como o próprio Boo. Fiquei curiosa em relação ao que acontece depois das cinco décadas na Cidade. Anotei a dica.
    Ótima resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  10. oie, maria, que bom saber que esse livro cumpriu seu propósito e conseguiu te cativar. Confesso que não é uma trama que me atraia a princípio, mas acho vários dos elementos presentes muito bacanas, como por exemplo a presença desses elementos da tabela periódica, a criação dessa cidade com as pessoas com treze anos e o fato de as piadas não serem forçadas

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Ai que resenha mais apaixonante.
    Acho a premissa desse livro muito original e interessante e estou louca de curiosidade de ler ele, mas ainda não consegui comprar meu exemplar.
    Achei muito legal essa questão de, do lado de lá, as pessoas amadurecerem por dentro, mesmo que continuem com a mesma fisionomia e fiquei bem intrigada com a questão das 13 zonas e das aulas de ciência que são transmitidas no livro.
    Claro que anotei a dica.
    Espero gostar tanto quanto você.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  12. Oie!
    Eu ainda não tive a oportunidade persquisar mais sobre o livro, e achei bem interessante sobre o que apontou. E só de saber que deu 5 estrelas, a história me chamou bastante a atenção para conferir.
    Eu estou gostando bastante das publicações da Fábrica231.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  13. Oii!!
    Nossa não conhecia esse livro mas já fiquei muito interessad. Sempre penso sobre isso, se eu morrer agora, será que tudo o que me falaram é verdade? Achei incrível esse livro, nunca imaginei nada do tipo. Ainda mais saber que a pessoa que te matou pode estar ali perto de você por provavelmente ter também 13 anos. Outra coisa que também chamou a minha atenção, é a história ser escrita como se o garoto estivesse contando as coisas para aos pais. Gente, que livro incrível. Quero muitoo mesmo ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi, Maria

    Eu conheci esse livro somente essa semana, através de uma outra resenha.
    Acho a capa muito linda, e só agora soube que ela é vazada e os olhinhos ficam na orelha, que legal! *---*
    Apesar de ser um livro bem juvenil, o que em geral não me agrada, pois não me identifico mais, a história de Boo chamou minha atenção e despertou minha curiosidade, principalmente por abordar o "outro lado" de uma maneira diferente.
    Espero poder ler em breve.

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Eu gostaria muito de ler esse livro, tem um tema sobrenatural e pós morte bem legal, coisa que nunca tive a oportunidade de ler antes. O personagem parece ser bem intrigante tão quanto a sua jornada. Parabéns pela ótima resenha.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/
    Participe dos SORTEIOS de Natal que estão rolando lá no blog!

    ResponderExcluir
  16. Oieee, tudo bem?? Achei SUPER legal esse enredo. Adoro histórias originais e essa, sem dúvidas, se enquadra no perfil. Já achei o Boo fofo só de ler sua resenha e achei interessante como ele descobre a forma que morreu. Acho que, no fundo, esse livro tem uma veia filosófica que direciona o autor a se questionar se a noção de vida pós morte que a gente tem (influenciados por religião) não seria uma grande utopia. Adorei mesmo, quero ler! Bjosss

    http://porredelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oi querida,
    Adorei a resenha com fotos ♥

    Não vou mentir que o autor deu uma bela inovada na premissa do livro. Nunca li nenhum assunto de "vida após a morte" em um livro para crianças. Mesmo achando isso um pouco pesado para crianças pequenas lerem, eu gostei.

    P.S a resenha está simplesmente adorável.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  18. Olá,

    Já tinha lido uma única resenha antes da sua, e a premissa de cara me chamou a atenção, por se tratar de um tema tão diferente e um pouco incomum. Fiquei bem intrigada para saber como o autor abordará toda essa questão de "vida após a morte". Dica anotada!
    P.s: não achei essa capa muito atrativa, será que ao menos ela tem relação com a história?

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Ola
      A capa tem muita relação com a estória, onde é retratado o armário do Oliver número 106, onde ele estava recitando a tabela periódica antes de morrer.

      Excluir
  19. Oiee Maria ^^
    Estou aguardando ansiosamente pela chegada do meu exemplar ♥ Fiquei encantada com a sinopse quando vi o livro no catálogo de lançamentos da editora, mas não esperava que ele fosse tão bom assim. Ver que você gostou tanto e o favoritou me deixou ainda mais curiosa, parece ser mesmo um livro arrebatador e incrível.
    MilkMilks ♥
    Milkshake de Palavras

    ResponderExcluir
  20. Olá, tudo bem?
    Nossa eu achei muito louco a sinopse desse livro. Coisa de outro mundo. Haha
    Eu normalmente não leio livros assim, mas eu fiquei realmente interessada nesse livro. E sua sinopse incrível só aumentou minha super curiosidade. Haha Amei! Parabéns!!
    PS: Blog tão fofo... A.P.A.I.X.O.N.E.I
    #CantinhodaBruna

    ResponderExcluir