07 dezembro 2016

[Resenha] O safado do 105 - Por Mila Wander



Título: O safado do 105
Autor (a): Mila Wander
Páginas: 510
Editora: Planeta de Livros
Skoob || Encontre

Sinopse: Podia ter sido com você. Mas foi comigo. E, dali em diante, descobri que morar sozinha podia significar tudo, menos tranquilidade. A minha mudança necessária não podia ser normal, afinal, eu não sou normal. Tenho uma família doida que me fez desenvolver distúrbios psicológicos irreparáveis.
Juro que só queria paz. Queria tédio. Queria um domingo de pura morgação diante do Faustão, comendo pizza requentada e esperando pela segunda-feira como quem espera pela morte.
Mas não. Nada seria igual e, ao mesmo tempo, seria tão louco quanto. Não podia esperar pelo diferente, não depois de ter conhecido o Sr. Calvin Klein, mais conhecido como o safado do 105.

O livro conta a estória da Raissa, uma garota que economizou dinheiro durante anos para poder comprar uma casa e finalmente sair da casa dos pais. Ela consegue uma casa pequena e aconchegante, que fica localizada em uma região agradável, porém é germinada, ou seja, são duas cassas grudadas uma na outra, mas para Raissa isso está ótimo, não se pode ter tudo.

"Os anjos gritaram amém. Os pássaros cantaram no ritmo do "aleluia, aleluia", e o meu sorriso evidente quase fez as minhas bochechas arderem de tão esticada que ficou minha pele. Desço do carro bem devagarzinho, como que para saborear lentamente o gostinho doce da mudança. Lembro-se até de ter fechado os olhos e inspirado profundamente."

Antes de se mudar, tudo que ela sabia acerca de seu vizinho era que ele era um homem solteiro, e, que vivia sozinho. Na primeira vez em que Raissa o vê, ele está saindo da casa com três mulheres, trajando somente uma cueca cinza e dá um beijo na boca das três para se despedir. Ele vê a Raissa, e se apresenta, e logo começa a flertar com ela. Bancando o misterioso, esse homem não diz seu nome, então, Raissa o apelida de Calvin (de Calvin Klein, marca da cueca que ele está trajando).

Não demora muito para que ela perceba que seu novo vizinho é um safado, sendo assim, melhor manter distância daquele homem lindo e sexy. No entanto, isso se mostra uma tarefa impossível. Quase todas as noites Raissa o escuta tendo relações sexuais muito barulhentas e intensas. A princípio ela acha melhor não reclamar para não correr o risco de se indispor logo de cara com o novo vizinho, mas a situação começa a realmente incomodá-la ela decide se vingar, mas o tiro saí pela culatra.

"Já estava desistindo de dar um "alô" ao vizinho, quando um sujeito alto, moreno, com as costas largas e com um belo traseiro saiu de dentro da casa para acompanhar suas visitas ruidosas. Não sei o que me deixou mais assustada: se assistir ao cara beijando as três mulheres de uma só vez - e na boca! -, se ver seu corpo estupendo ou o fato de ele vestir apenas uma cueca boxer cinza."





Não costumo não gostar dos livros que leio. Leio livros técnicos o dia inteiro, então normalmente qualquer livro voltado ao entretenimento é um sopro de ar fresco. Mas aconteceu, li um livro e odiei, me forcei a ler o livro inteiro, mas me neguei a ler a continuação. E isso me deixou totalmente desconcertada e acabei culpando o gênero. No entanto, na tentativa de vencer o preconceito em relação ao gênero, comprei esta obra nacional que foi muito indicada e comentada.

Eu vi, inclusive, muitos comentários negativos, dizendo que existe uma distinção entre erótico e pornô, e, este livro, se encaixaria na segunda categoria. Eu, particularmente, discordo de tais críticas. Existem sim muitas cenas eróticas explícitas, principalmente no começo do livro, mas o livro tem estória e acabei gostando. Especialmente por conta da personalidade dos personagens principais. Já que, pasmem, a mocinha não é uma alface (quem leu Prometida pode interpretar no sentido que achar melhor), ela tem personalidade, é independente e sabe o que quer.

"Não procure alguém que te complete. Complete a si mesmo e procure alguém que te transborde."

Em suma, ao ler este livro descobri que não é o gênero que me desagrada, e sim, alguns estereótipos que estão tão arraigados na literatura que já começaram a me dar nos nervos de tanto que se repetiram. Então, hoje, eu não deixo de ler uma estória que me interessou por se enquadrar no gênero romance erótico, somente pulo algumas cenas hots caso elas comecem a me incomodar. Por isso este livro se tornou especial para mim, ele me ajudou a vencer um preconceito e sou grata por isso.

Vou falar um pouco sobre o livro em si agora: a Raissa é uma mulher independente, forte e determinada. Não tem nada daquele clichê da mocinha inocente e virginal que precisa desesperadamente de um homem forte para protegê-la. É uma mulher madura e autoconfiante que sabe o que quer.

"A casa dele estava toda escura, por isso fiz o favor de ligar as luzes do jardim. nem acreditei quando fui até a varanda e descobri um vaso grande ao lado da porta. Havia rosas vermelhas maravilhosas (e cheirosas!) enfeitando. Achei aquele gesto tão bonitinho! Seria mais bonitinho ainda se eu não soubesse quais eram as reais intenções do Sr. Klein. Ele não tentava ser agradável, só estava dando em cima da vizinha para conseguir sexo quando quisesse."

O Calvin (você terá que ler o livro para saber o nome verdadeiro dele) é um homem solitário que sofreu mais perdas do que pode suportar, e que encontra conforto nos livros e nos prazeres da carne. Ele é um cozinheiro extremamente talentoso, e é realmente muito fácil se apaixonar por ele depois que ele começa a se abrir. Mas não engane-se, ele não tem a mínima intenção de abandonar a vida libertina que leva, e, deixa isso claro para todos.

A família da Raissa assume um papel importante no decorrer da estória. Irmã e irmão mais novos, avó, sobrinha, pais amorosos que não queriam que ela saísse de casa e uma prima, que é a pessoa mais próxima que ela tem de uma amiga. Dentre os personagens secundários também podemos destacar a Karen, melhor amiga do Calvin, que é homossexual e sempre o acompanha na “caça” de novas parceiras.

Raissa sabe desde o começo que o Calvin é um safado, e, apesar de não julgá-lo, percebe que não pode envolver-se emocionalmente com ele. Logo no começo do livro os dois vão pra cama, e, após conhecê-lo um pouco melhor, Raissa percebe que está se apaixonando. A princípio ela decide interromper as relações antes que se machuque. Depois ela se vê determinada a conquistá-lo e isso faz com que o livro seja cheio de altos e baixos, principalmente porque ele não quer ser conquistado e não quer abandonar o estilo de vida que leva. Com o tempo, ele começa a ceder, mas Raissa não sabe se conseguirá lidar com as inseguranças e imaturidade do Calvin, e percebe, que nem sempre o amor é suficiente. O livro é recheado de cenas hots, e, ao contrário do que vejo em outros livros, elas se concentram mais no começo. Da metade para frente do livro essas cenas diminuem bastante.

"- Você ainda não me julgou.Refleti a respeito. Eu o tinha julgado bastante, mas era algo que acontecia no meu íntimo. De um modo geral, não o julguei demonstrando preconceito. Jamais pararia de falar com ele ou o excluiria por ser um cafajeste.[...]- Saber que você gozou para mim duas vezes, e de propósito, está me fazendo questionar os motivos de eu ainda não estar na sua cama. Ou de você não estar na minha.- Deve ser porque eu ainda não sei o seu nome.[...]- Um nome é apenas um nome. O que mais não sabe sobre mim?- Tudo. A única coisa que sei é que você é um safado.Pensei que ele ficaria chateado, mas o doido apenas riu ainda mais alto.- Isso é tudo o que precisa saber sobre mim."

A estória se passa em primeira pessoa, mostrando o ponto de vista da Raissa. Sendo que somente um pequeno trecho traz o ponto de vista do Calvin. A leitura é rápida e fluída, e a escrita é bem informal. Confesso que no começo cheguei a pensar que odiaria o livro, mas ele foi me conquistando e eu entendi a proposta da autora e gostei. Li algumas críticas no sentido de que o livro seria desnecessariamente longo, mas eu discordo, gostei da forma como foi escrito e também do fato de incluir um pouco da rotina dos personagens. Eu gosto disso quando não é exagerado.

Foi o primeiro livro digital que comprei. Li pelo aplicativo da saraiva, e me surpreendi, gostei muito da praticidade de poder ler o livro em qualquer lugar. Apesar de não estar disposta a abandonar os livros físicos, os digitais agora se tornaram uma opção.

Eu indico esse livro para quem curte romance com muitas cenas eróticas. Lembrando que não é uma leitura leve, já que possuí muitos altos e baixos no decorrer da estória. Ele também é um pouco mais realista, menos romantizado que os demais livros do gênero. No mais, amei o final do livro, que traz uma decisão importante quanto ao futuro profissional: fazer o que trará retorno financeiro mais rápido ou investir para conseguir fazer o que realmente ama? Acabei me identificando com a questão.

26 comentários:

  1. Olá
    Adorei poder conferir suas impressões a respeito desse livro, especialmente porque eu também já fiz essa leitura e adorei. A escrita da autora é o que mais se destaca e ela sabe muito bem como fazer um desevolvimento incrível e na medida ideal com seus personagens. Realmente é um pouco mais realista, e gostei desse elemento, misturado a outros.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Barbara, eu gostei da história que livro trás, parece ser divertido e interessante. Há um tempo atrás, abandonei uma livro exatamente por conter só cenas assim, não tinha enredo sabe, só ficava naquilo, com um palavreado que me incomoda. Não é tudo que eu leio. Vou dar uma pesquisada a mais nesse livro. A trama chamou minha atenção, parabéns pela resenha.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Esse livro é super bem criticado nos blogs que eu visito, e não só essa obra da autora mas toda a sua coleção rsrs. Eu não sou muito fã do gênero, e ao contrário ode você eu peguei recha do gênero e nunca mais li nada. Fico feliz que tenha sido uma leitura okay pra você. Até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oie!!!
    Nossa eu levei um susto no início da sua resenha! Achei que o livro que você estava mencionando que a havia te decepcionado era esse e como já li um outro livro da autora e tinha gostado muito da narrativa dela fiquei com o pensamento de "como assim? A sinopse era tão promissora...", mas logo vi que era outro e juro que soltei a respiração e falei "ufah!"....kkkk

    Ultimamente estão sendo lançados vários livros do gênero e sinto que muitos se tornam meio repetitivos e eu detesto certos estereótipos, inclusive o das "mocinhas alface", aliás amei essa expressão, então me senti duplamente aliviada por isso não acontecer neste livro!!! Gostei muito dos pontos levantados pela sua resenha e do suspense da sinopse que você manteve sem dar spoilers! Quando tiver a oportunidade lerei este "safado"!

    Sobre livros digitais: antigamente eu pensava que não entraria nessa de leitura digital. Mas um dia vi um livro que queria ler que estava de de graça no site da Amazon e a experiência foi tão boa que comprei um leitor digital e vivo pesquisando por livros e contos, pois o aparelhinho é leve, prático e ainda tem os benefícios de não me deixar com a vista cansada e poupa a bateria do meu celular!
    Nossa como escrevi! Não me alongando mais espero que tenha várias experiências positivas com os hots e com com os digitais!!!!
    Bjinhos ;)
    Elaine M. Escovedo
    Caminhando Entre Livros
    Http://www.caminhandoentrelivros.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, lendo sua resenha eu notei que eu acho que peguei uma amostra dele para ler e tinha me divertido bastante, até queria continuar lendo, mas a correria me fez deixar para depois e agora o depois passou e demorou um milhão de anos. Gostei de saber que a protagonista não é daquelas moscas mortas e que tem personagem e gosto bastante do gênero, fazendo que nem você e pulando cenas hot quando elas começam a me encher o saco. Acho que realmente não se deve deixar de ler um gênero por uma leitura ruim, vai que você deixa de ler um livro que se apaixonaria só por causa de uma opinião formado em um? Adorei a resenha e já vou procurar para comprar e ler, acredito que irei gostar!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Barbara, adoreia forma como você explicou a sua opinião deste livro e do gênero em si. É bom saber diferenciar os esteriótipos dentro das tramas, mas confesso que este livro aqui, bem como outros títulos desta autora, não me atraem e é o gênero mesmo que me afasta. Acho extremamente cansativo quando um livro tem muitas cenas sensuais.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá amore,
    OMGGG te love por me fazer lembrar desse livro maravilindo... e desse delícia do CK, a expressão um sopro de ar fresco cai muito bem ao que esse livro representou pra mim rs.
    Adorei sua resenha e suas impressões, parabéns!
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  8. Adoro Mila Wander! Este livro ainda não li, mas está na minha lista de desejos. A escritora realmente tem um estilo bem fluído, informal e envolvente! E que bom que você mudou seus conceitos sobre este estilo de literatura, tem títulos muito bons por aí. E concordo com você, alguns estereótipos literários dão nos nervos, ainda mais da mocinha água com açúcar.

    |amorlivresco.wordpress.com|

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Embora já conheço algumas obras nunca li nada Mila Wander
    Eu concordo com suas considerações a respeito de rótulos em gêneros literários. Eu, quando vou a uma livrarias ou mesmo qdo entro em sites a fim de comprar livros vou primeiro no meu gênero predileto é claro! E as vezes nem passo em outras estantes, mas não julgo e não deixo de ler outros gêneros, na verdade para falar mal ou bem você tem que ler, né?
    Fiquei curiosa pra saber que fim que vai dar essa "briga" entre a protagonista e seu vizinho safadinho, que ainda por cima é lindo e sex. rs Tomara que se apaixonem. rá!
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oie...
    Adorei conhecer seu ponto de vista a respeito do gênero do livro, eu particularmente não curto ler livros com cenas de sexo explícita, acho extremamente desnecessário, mas, enfim, é só uma opinião minha e, é claro, respeito todos que leiam esse gênero.
    A história em si parece ser legal, gostei do personagem da Raissa, segundo as tuas palavras, mas, acho que não lerei justamente pelas cenas quentes.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá eu tentei começar a ler esse livro mas não dei. Com o tempo fui achando que era comigo porque todo mundo gosta dele, mas finalmente achei uma pessoa que concorda comigo. O livro não é bom. Não é o gênero. É o livro. Não gostei. Concordo que hot ele é kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi.
      Mas eu gostei do livro.
      No início da resenha me referi a outra leitura.
      No começo eu também pensei que odiaria. Praticamente todas as cenas eróticas acontecem nas primeiras 100 páginas e parece que o livro não terá estória.
      Mas, no decorrer da leitura, a estória vai se tornando mais complexa e acabei gostando muito.

      Excluir
    2. Ah agora entendi kkkk todo mundo fala que gostou da história e que tem complexidade, mas ainda sigo não gostando kkk não sei se é cisma com a autora também. Beijos e obrigada por explicar

      Excluir
  12. Olá!
    Já ouvi muitos elogios para esse livro e curti muito a sua resenha, pois acho que foi bem sensata.
    Achei interessante essa ideia de o livro mostrar que, às vezes, o amor não é suficiente para fazer tudo dar certo. Também gostei de saber que você não achou o livro extenso demais.
    Vou me valer da dica e tentar encaixar entre as próximas leituras, pois tenho vontade mesmo não curtindo muito livros hots.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu entrei a pouco tempo no mundo de romances hot, por também ter preconceito, como você, mas depois que li um livro que não era totalmente hot, mas tinha suas cenas quentes de sexo, eu acabei gostando e lendo mais livros do gênero. Esse, eu não conhecia, mas fiquei bem curiosa para saber sobre esse tal "tiro pela culatra" hahahaha. Adorei saber que a personagem não é aquele clichê de livros hot, porque, puuutz, é chato pra caramba a mocinha virgem que tá looouca por sexo. Já vai para lista.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi.
      Pelo seu relato, só dou uma dica: pula as cenas eróticas do começo (volta depois se quiser).
      Porque no começo realmente parece que o livro não terá estória e a chance de você abandonar é grande se já não gosta muito das cenas eróticas.
      Depois de 100 páginas mais ou menos a estória se mostra mais complexa e eu gostei muito.

      Excluir
  14. Tenho vontade zero de ler esse livro... Eu já não gostaria do "Calvin" logo de cara, não suporto gente nem nos livros nem na vida real que leva a vida desse jeito, claro que cada um tem direito de fazer suas escolhas, e eu escolhi me cercar de pessoas que fazem escolhas diferentes, e simplesmente odeio hot/erótico ou qualquer outro nome que decidam dar. Não consigo pular nada num livro, então simplesmente pular as cenas hot não seria nunca uma opção, e um livro com tantas cenas do tipo, principalmente no início, não conseguiria me prender. Que bom que acabou curtindo e descobrindo que o gênero não te desagrada, não é o meu caso... Rs....

    ResponderExcluir
  15. Olá,
    Fico feliz que o livro tenha lhe ajudado a superar um preconceito que existia em relação a obras do gênero.
    Os personagens me chamam muito a atenção, principalmente Raissa por ser forte e determinada. Fiquei bem intrigada para saber mais sobre o envolvimento entre ela e Calvin rsrs

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá!!
    Conheço a autora e alguns dos livros dela,e sempre vejo alguém falando bem desse livro,como no momento já tô meio que saturada e gênero hot,vou passar essa leitura,não que eu não goste mas é que já caiu na mesmice,mais pra frente darei uma chance a ele!!

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2016/12/resenha-dez-formas-de-fazer-um-coracao.html

    ResponderExcluir
  17. Confesso que costumo fugir de livros do gênero, mas a sua resenha me deixou bem interessada na trama, diferente da maioria dos livros que a gente vê por aí esse não parece ser mais do mesmo... E é bem legal quando o livro acaba superando nossas expectativas, fazendo a gente até vencer um certo preconceito, como foi o seu caso.

    ResponderExcluir
  18. Olá.
    Fiquei impressionada com a determinação da Raissa e ela ter conseguido comprar uma casa e ter sido das casas dos pais. Isso é, em certa medida, inspirador.
    Fico contente que sua primeira experiência com um livro digital tenha sido tão boa, é realmente muito prático.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  19. Oiee Bárbara ^^
    Eu também evitava livros desse gênero por conta da grande demanda de histórias iguais e mega hots que brotaram por aí, mas aí comecei a pular as páginas quentes também, e acabou dando tudo certo. Eu ainda não li esse livro, mas parece ser divertido e bem bacana, e eu já gostei da Raissa pelas coisas que você falou dela, e é bom saber que não é muito romantizado. Mesmo não gostando do gênero, vou querer lê-lo.
    MilkMilks ♥
    Milkshake de Palavras

    ResponderExcluir
  20. Sabe, eu também tinha um certo preconceito com livros eróticos, exatamente por alguns conterem cenas realmente desnecessárias ao enredo ou por serem tão surreais que é impossível continuar a história. Mas alguns nacionais tem me feito mudar de ideia também, agregando histórias muito bem construídas.
    O Safado do 105 sempre me deixou curiosa, justamente pelas boas críticas sobre ele, mas por ser um livro erótico, sempre acabei deixando ele para depois.
    Fiquei surpresa e feliz em saber que nesse livro a personagem feminina não é sem sal e que ela tem personalidade. Isso torna o livro bem mais interessante.
    Enfim, obrigada por compartilhar sua opinião com a gente. Adorei sua resenha.
    Bjs.

    www.salaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Comecei a sua resenha com um pé atrás, pois também achi que tinha um problema com esse gênero, mas acontece que seu texto me chamou atenção para o livro, você passou a ideia de ele ser bem realista e até um pouco divertido. Acho que vou procurar saber mais sobre ele!

    Beijos,
    Tabatha Cuzziol
    Blog e Canal Floretizas - http://floretizas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Oie,

    Não é um dos meus gêneros favoritos, justamente pela categoria. E concordo com você, devemos dar chance a determinadas leituras. Gostei do modo como você traçou a descrição do livro, como também citou em sua avaliação que a personagem n é um alface e sim independente, de certo modo me motiva a ler. Só não em entra saber que o livro se adequa a categoria pornô, mesmo que vc n tenha achado.

    Beijos,
    Amanda M.

    ResponderExcluir
  23. Também li esse livro digitalmente. Pretendo tê-lo na minha estante um dia.
    Gostei muito dele, como você destacou, ele tem um história, uma mensagem, não é sexo-sexo-sexo como outros desse gênero.
    Adorei sua resenha, parabéns!



    Minha Fuga da Realidade

    ResponderExcluir