21 fevereiro 2017

[Resenha] Desejo à meia-noite - Por Lisa Kleypas



Título: Desejo à meia-noite
[Os Hathaways #1]
Autor (a): Lisa Kleypas
Páginas: 272
Editora: Arqueiro
Skoob || Encontre

Sinopse: Após sofrer uma decepção amorosa, Amelia Hathaway perdeu as esperanças de se casar. Desde a morte dos pais, ela se dedica exclusivamente a cuidar dos quatro irmãos uma tarefa nada fácil, sobretudo porque Leo, o mais velho, anda desperdiçando dinheiro com mulheres, jogos e bebida. Certa noite, quando sai em busca de Leo pelos redutos boêmios de Londres, Amelia conhece Cam Rohan. Meio cigano, meio irlandês, Rohan é um homem difícil de se definir e, embora tenha ficado muito rico, nunca se acostumou com a vida na sociedade londrina. Apesar de não conseguirem esconder a imediata atração que sentem, Rohan e Amelia ficam aliviados com a perspectiva de nunca mais se encontrarem. Mas parece que o destino já traçou outros planos.
Quando se muda com a família para a propriedade recém-herdada em Hampshire, Amelia acredita que esse pode ser o início de uma vida melhor para os Hathaways. Mas não faz ideia de quantas dificuldades estão a sua espera. E a maior delas é o reencontro com o sedutor Rohan, que parece determinado a ajudá-la a resolver seus problemas. Agora a independente Amelia se verá dividida entre o orgulho e seus sentimentos.
Será que Rohan, um cigano que preza sua liberdade acima de tudo, estará disposto a abrir mão de suas raízes e se curvar à maior instituição de todos os tempos: o casamento?

Ambientado em Londres, no ano de 1848. A família Hathaway passou por maus bocados nos últimos tempos. Os pais faleceram deixando órfãos os cinco irmãos: Leo, Amélia, Win, Poppy e Beatrix. Sem contar Merripen, um garoto cigano que os Hathaways acolheram quando era menino e que faz parte da família. Leo e Win contraíram escarlatina, Leo se recuperou totalmente, mas a Win ficou debilitada e os médicos não vêem possibilidade de melhora.

A única coisa boa que aconteceu na vida dos Hathaways foi Leo herdar o título de visconde, agora ele é o Lorde Ramsey. E nem isso é tão bom assim, posto que o título vem acompanhado de uma propriedade em ruínas, que dará mais gastos imediatos do que lucros, e uma pequena renda anual, insuficiente para manter o sustento da família. Sem contar que correm boatos de que o título é amaldiçoado e, de fato, Leo encontra-se em claro declínio. Ele se entregou a vida de libertinagem e jogatina, praticamente esgotando os já parcos recursos financeiros da família.

"– Se você pretende beber até morrer, prefiro que faça isso em um lugar mais acessível – dissera-lhe Amelia, com toda a calma.
– Mas agora sou visconde – respondera Leo com indiferença. – Preciso fazer tudo com estilo, senão as pessoas vão comentar.
– Comentarão que é um perdulário tolo e que o título poderia perfeitamente ter sido herdado por um macaco!"

Como Leo, o mais velho, não se encontra em condições de cuidar nem de si mesmo, Amélia, a segunda mais velha, assume para si a responsabilidade de cuidar da família. Em uma noite, depois que Leo sumiu por um período de tempo maior que o habitual, Amélia se preocupa e saí a sua procura. Sua busca a leva a uma casa de jogos que Leo costuma frequentar, e lá conhece o Sr. Cam Roham, gerente do local. Os dois sentem-se imediatamente atraídos um pelo outro, mas ficam felizes com a perspectiva de não se encontrarem novamente.

"Nenhuma depravação, nenhuma cortesã habilidosa, nem mesmo uma salão repleto de mulheres nuas poderiam ter despertado a metade do interesse criado pela Sta. Amelia Hathaway e suas fitas vermelhas. Pág. 23."

Depois de ponderar, Amélia decide que é melhor a família se mudar para a propriedade herdada pelo Leo - a Hamsey House -, em Hampshire. E os motivos são muitos: a casa em que cresceram trás muitas lembranças dos falecidos pais; afastar Leo da vida agitada de Londres e o ar do campo pode fazer bem a Win.

No entanto, a casa estava em piores condições do que Amélia esperava. Abandonada há uma década, está toda empoeirada e caindo aos pedaços. Serão necessários muitos esforços e muitos investimentos para deixá-la habitável novamente. Eis que Amélia reencontra Cam Roham, que parece mais do que disposto a ajudar.





Antes de ler este livro, eu li Segredos de Uma Noite de Verão, da Série As quatro Estações do Amor da mesma autora. Só quando eu terminei de ler o livro descobri que havia a série Os Hathaways, publicada anteriormente. Bom, eu, particularmente, sugiro que leiam As Quatro Estações do Amor antes de ler Os Hathaways para seguir a ordem cronológica correta. Até porque aparecem alguns personagens da outra série e você pode receber alguns spoilers indesejados.


Vamos falar da Amélia: ela é uma mulher forte e determinada que carrega nas costas o peso de cuidar da família e garantir o bem-estar de todos. Depois de ter sofrido uma decepção amorosa e por já ter completado 26 anos, Amélia se considera uma solteirona e não enxerga a possibilidade de casar-se um dia, até porque não quer abrir mão da sua liberdade e independência. Gostei muito dela, onde demonstrou um carinho enorme pelos irmãos e é o ponto de apoio da família inteira. Mas e quem é o apoio quando Amélia precisa?

"- Estou longe de ser uma mulher indefesa. Não preciso que cuidem para que eu vá a lugar algum [...]. pág. 50"


Cam Roham tem descendência cigana e irlandesa. Foi criado em meio aos ciganos até completar 12 anos, quando foi deixado em uma casa de jogos em Londres pela família que prometeu voltar para buscá-lo, o que não aconteceu. Apesar de viver em meio aos gadjo – quem não é cigano – há muito tempo, ele sente falta da liberdade que a vida cigana lhe proporcionava. Ele não se encaixa bem entre os gadjo, que consideram os ciganos vagabundos ladrões e preguiçosos. Mas também é mau visto pelos ciganos que consideram vergonhoso um cigano estabelecer raízes em um local e acumular riqueza. E sim, Cam é muito rico.

"Amélia não podia deixar de concordar. Em sua experiência, estudiosos como seu pai eram pálidos por passarem muito tempo entre quatro paredes, eram barrigudos, usavam óculos e tinham aparência encarquilhada e envelhecida. Não eram jovens exóticos que pareciam príncipes pagãos, exibindo anéis dourados e tatuagens. Pág. 48"

Christopher Frost era o melhor amigo do Leo e é o antigo amor da Amélia, ele a abandonou para cortejar a filha do seu empregador. Christopher ressurge na vida da Amélia e quer reparar os erros do passado. Mas Amélia já o esqueceu e aceita apenas sua amizade.


Neste livro o leitor já é apresentado ao Merripen e à Win, que protagonizarão o próximo volume da série. Merripen é um cigano que foi encontrado pelos Hathaways muito machucado quando garoto e vive com eles desde então. E Win é a irmã que contraiu escarlatina e, como conseqüência, ficou com a saúde debilitada. Desde a primeira cena em que o Merripen aparece já podemos perceber que ele é totalmente apaixonado pela Win que, por sua vez, é mais discreta, não dá para saber se ela percebe ou corresponde aos sentimentos do Merripen.

"- Sim, quando morávamos no chalé em Primrose Place. O quarto de Win tinha uma janela de batente que contemplava um grande bordo, lembram? Depois da escarlatina, quando Win ficou sem sair da cama durante muito tempo e estava fraca demais para segurar um livro, ela fiava ali e olhava para um ninho de pássaros em um dos galhos. Viu os filhotes de andorinha nascerem e aprenderem a voar. Um dia, reclamou que a janela estava tão suja que ela mal conseguia ver o que estava lá fora e que fazia o céu parecer cinzento. Então, daquele dia em diante, Merripen sempre manteve o vidro impecável. Às vezes, ele subia numa escada para lavar a parte de fora, e vocês sabem que ele tem medo de altura. Nunca o viram fazer isso?
[...]
- Merripen disse que o céu deveria ficar sempre azul para ela [...] pág. 193"

Amélia e Cam sentem atração física irrefreável um pelo outro, mas nenhum dos dois está disposto a levar isso adiante. A Amélia está acostumada com a independência da vida de solteira e não está disposta a ter um homem lhe dizendo o que fazer. Cam, por outro lado, está cansando do modo de vida gadjo e quer voltar a viver como os ciganos, o que impossibilitaria qualquer tipo de romance com a Amélia, que, por sinal, é o tipo de mulher que ele sempre evitou. Gostei muito dos dois e me vi torcendo para ficarem juntos. Existem algumas cenas hot, mas elas não me incomodaram.

"Ela era tão séria, tão ocupada ao tentar controlar todos à sua volta, era uma tentação profana distraí-la. Fazê-la rir. Fazê-la brincar. E ele poderia, se quisesse. E saber disso tornava mais difícil ficar longe dela. Pág. 112"

A estória é contada em terceira pessoa através do ponto de vista da Amélia, na maior parte do tempo. A autora conta com uma narrativa fluída que torna a leitura fácil e prazerosa. Li em dois dias. Gostei muito da capa do livro, é muito condizente com o enredo. O livro tem orelhas, folhas amareladas e letras com tamanho e espaçamento bons que facilitam a leitura.


Indico para quem gosta de romances de época e busca por uma leitura leve e despretensiosa. O romance é leve, sem muitos altos e baixos e a leitura não deixa o leitor aflito, só suspirando mesmo.

17 comentários:

  1. Oi, Bárbara!
    Lisa! Amo a escrita dessa mulher. Amo seus livros! No momento vou iniciar "Escândalos Na Primavera" da autora. <3
    Muitos suspiros mesmo! Cam é meu personagem favorito da série toda. Não tenho como resistir a esse cigano. rsrs... Amélia é uma personagem que admiro muito. Tem muita força e determinação, coisa que Leo é que deveria que ter, já que na época, eram os homens quem deveriam estar no comando. :P
    Você já leu os outros livros da série?
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  2. Não sabia que a serie As Quatro estações do Amor tinha uma ligação com os Hathways. Bom saber, porque morro de curiosidade por esta serie aqui, mas não terminei a utra.
    Essa capa é linda demais né?
    Quero muito ler!!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bom?

    Eu amo esse livro! Por obra do destino, acabei conhecendo a Lisa Kleypas pela série As Quatro Estações do Amor. Na verdade, eu me deparei com o terceiro livro (sem saber que fazia parte de uma série) e me apaixonei pela história. Com isso, li o restante e vi que no Brasil, na época, tinham publicado Desejo à Meia-Noite. Logicamente já comprei e li, revendo personagens que havia amado anteriormente e conhecendo outros novos. A autora é incrível e me fez apaixonar pelo gênero de romances históricos. É ambientado de uma maneira maravilhosa, parecendo que eu estou ali, dentro da história. Além de ter personagens fantásticos como a Amélia. Eu tenho raiva do irmão dela, mas eu adoro vê-la, pois é aquele tipo de mulher que não dá o braço a torcer e, se quer algo feito, faz ela mesma, rs. Apesar do irmão não ajudar a família, ela não desiste e sai a luta pelo melhor que puder. Ou seja, ela é independente e não quer se casar, como você disse, para ter um marido que mande nela. Mas aí o Cam aparece, né? E, logicamente, nos apaixonamos por toda a história dos dois. É um dos meus livros preferidos dessa autora, só perdendo para o primeiro que li dela <3

    Obrigada pela dica, mesmo assim ;)
    Abraços.

    http://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oie! Tudo bem?

    Bom para mim é novidade que as duas séries tem ligações, mas não é surpresa alguma pois a maioria dos livros de época são assim, todavia lendo a sua resenha fiquei um pouco confusa até realmente pegar o fio da meada, parece ser um livro muito bom, mas por agora não irei realizar a leitura! Mas quem sabe em breve!

    Bjss

    ResponderExcluir
  5. Oiii
    Achei legal a história e tudo mais, o que me incomodou foi a continuação. Não gosto desta "moda" que está por ai de fazer uma série de livros só que centrada em casais diferentes. Os que li até agora não funcionaram bem para mim.

    Vícios e Literatura

    ResponderExcluir
  6. Oi Bárbara.
    Adorei sua impressões sobre esse livro. Infelizmente não curto romances de época e por mais que tente dar uma oportunidade, passo outros na frente.
    Esse, em especial, não chamou minha atenção. Mas fico feliz que você gostou.
    O post está maravilhoso. Amei as fotos e achei legal os trechos que você selecionou.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Já está ficando batido eu dizer que nunca li nada de época né ?! rsrsrsrs. Sempre falam muito bem dessa autora e eu não sabia que eram ligadas essas séries, já até anotei aqui porque prentendo tentar me aventurar. O que me incomoda muito são os livros virarem séries enormes, eu tenho um problema de continuar dois livros seguidos, não sei o motivo, mas nÃo consigo, então sempre fica algo exaustivo. Enfim...
    Gostei da resenha, como já disse, pretendo ler. Amo todas as capas dessa série, acho de uma cor e vivacidade linda demais.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Adoro esta série e li esta antes da série 4 estações do amor. Dá minha parte não tive problemas com spoiler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Barbara, tudo bem?
    Até o momento eu não li nenhum livro da autora, mas quero muito poder fazer isso o quanto antes pois adoro romances. Amélia me parece ser uma protagonista bem forte que aguenta os baques da vida, já o seu irmão me parece um cara totalmente inconsequente que não pensa nas consequências de suas ações. Espero mesmo que esse mocinho misterioso ajude essa família a se reerguer e o romance me parece ser muito bem desenvolvido. Espero ler em breve!

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  10. Olá
    muito legal sua resenha, eu não leio esse gênero e ainda não arrisquei mas escuto falar bem de várias escritoras desse gênero e essa é uma delas, muitos legal a dica

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Barbara.
    Parabéns pela sua resenha, ela ficou bem completa.
    Parece que só acontece desgraças com essa família, tomara que nos próximos livros as condições sejam mais favoráveis para eles.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Estou doida para suspirar por esse romance, mas ainda não tive tempo.
    Leo me pareceu um personagem meio teimoso. E Amélia eu já gostei por ser uma mulher forte e que não depende de nenhum homem. Acho isso incrível.
    Estou curiosa para saber o desfecho dessa estória.

    ResponderExcluir
  13. Oiii!!
    Eu já conhecia esse livro, mas é a primeira vez que leio uma resenha sobre ele. Que situação dificil a de Amélia, ter que aguentar todos os problemas sozinha por causa do irmão irresponsável. Estou fugindo de romances atualmente, mas essa história parece ser bem diferente das convencionais, principalmente por ter vários livros. Só acho que a Amelia tinha que dar uns tapas no irmão para ver se ele cria responsabilidade rs. Outra coisa que achei bem diferente é envolver ciganos também... Nunca li nada parecido.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi querida,
    Adorei a resenha. Já li muitas resenhas da obra. E essa me chamou mais atenção do que as outras. Pois você foi sincera...
    Eu já li algumas resenhas negativas e outras positivas, mas sempre abordavam oa mesmos pontos e sempre falavam demais dos personagens. O enredo foi muito bem construído e a premissa é leve e fofa, digna de um Romance de Época. Espero gostar da leitura...

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas eu até que a achei a história bem interessante e realmente parece ser uma leitura leve. Mas eu vou seguir seu conselho e ler As Quatro Estações do Amor primeiro (também não conhecia esse livro, mas já coloquei aqui pra pesquisar). Estou em buscar de romances de época para ler e acho que esse vai ser bem interessante. Obrigada pelas dicas.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  16. Oi tudo bem?
    Eu já conhecia essa autora e tinha visto essa capa e até mesmo outras resenhas, mas a maioria destacou somente o romance e lendo sua resenha percebi que é mais do que isso. Eu não curto muito romances de época, mas abriria a exceção para a Lisa Kleypas.

    ResponderExcluir
  17. Olá,

    Eu li os dois primeiros livros dessa série e amei! Confesso que a escrita da autora, pelo menos nessa série, não é muito fluída, mas apesar disso me vi encantada com o universo criado nessa série. Estou doida para dar continuidade a essa série e ler a nova da autora, mesmo você tendo dito que há possíveis spoilers, não senti incômodo em ler Os Hathaways primeiro.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir