15 fevereiro 2017

[Resenha] Órfão X - Por Greg Hurwitz



Título: Órfão X
Autor (a): Greg Hurwitz
Páginas: 336
Editora: Planeta de Livros
Skoob || Encontre

Sinopse: Quando garoto, Evan Smoak foi recrutado no orfanato onde vivia para fazer parte de um programa americano ultrassecreto. Rebatizado de Órfão X, ele foi treinado para ser um exímio assassino e enviado aos piores lugares do mundo para missões que ninguém mais conseguia executar.  Depois de longos anos de atividade, Evan deixa o programa e usa as habilidades de agente secreto para “desaparecer” e viver para um único propósito, agora sob o codinome de “Homem de lugar nenhum”: salvar e proteger pessoas pobres e indefesas como ele havia sido. No entanto, seu passado de matador sangrento passará a assombrá-lo e também a seus protegidos. Alguém tão bem treinado quanto ele – talvez um ex-colega de programa? – está na sua cola, para tentar eliminá-lo.

Evan Smoak é um pacato cidadão que vive de importação de produtos de limpeza e tem uma rotina muito parecida a dos muitos moradores de seu prédio. Acorda cedo, toma seu café da manhã, se exercita um pouco, sai para fazer suas coisas. Pelo menos é assim que ele aparenta ser.
Na realidade, Evan tecnicamente não existe. É apenas o nome falso de um homem que provavelmente mal se lembra do nome que deixou em algum lugar do passado. Como um menino órfão esquecido pelo Estado e pela sociedade como um todo. "O Homem de Lugar Nenhum" é há anos procurado por autoridades de vários países diferentes e constantemente precisa se mudar para não comprometer a própria segurança e a daqueles que ele jurou ajudar quando abandonou de vez as missões dadas pelo governo. Trabalhos que nem mesmo o melhor dos agentes secretos dentro da lei poderia fazer.

"Você faz parte do que chamamos de Programa Órfão. É excepcionalmente equilibrado e muito comedido diante do desconhecido e foi escolhido para o programa justamente por ter essas qualidades. Há outros como você. Mas jamais os conhecerá (...)"

Entretanto, suas atuais ações atraíram um inimigo secreto e igualmente habilidoso disposto a qualquer coisa para acabar de vez com o Órfão X, codinome pelo qual este homem ficou conhecido. Evan, ou seja qual for o seu real nome, agora precisará de tudo o que aprendeu e algo mais para escapar com vida e descobrir quem deseja tanto eliminá-lo e o porquê. E salvar pessoas que sem querer se colocaram na linha de fogo.
Esta é apenas a primeira parte da história de Evan Smoak.






Vou começar essa resenha fazendo algumas perguntas a quem estiver lendo...
Você agradece sempre por ter aquilo que tem? Ou você constantemente reclama da vida?
Você dá o valor que a sua família merece? Ou briga com eles o tempo todo, muitas vezes sem motivo?
Você se importa com seu próximo de fato? Ou simplesmente o ignora pelas escolhas que ele faz e o julga mesmo sabendo que não deveria?

Estou fazendo essas perguntas por um primeiro motivo bem simples. Porque nós já fizemos burrices assim e nos arrependemos depois. O segundo motivo é relacionado ao livro que estou resenhando aqui, Órfão X. Porque a escolha do Evan, anos depois, rendeu frutos muito desagradáveis. Aí eu faço duas outras perguntas: se você fosse um menino órfão de doze anos que não sabe um nada das suas origens e tivesse uma expectativa de futuro muito sombria, você iria embora com um homem chamado Jack? Aceitaria treinar dia e noite com um sem número de instrutores de várias modalidades para tornar-se um assassino do governo fazendo missões que nem mesmo o mais alto escalão das autoridades é capaz?

Eu não vou colocar simplesmente “se você disse..., é porque...”. Pois é impossível, dizendo o mínimo, julgar as atitudes do Evan na história. Que devo dizer, não é apenas um livro com muitas cenas de ação e suspense. É uma história que te faz pensar...

Sobre fazer as melhores escolhas possíveis para determinadas situações. E nem todas terão boas consequências por mais que se tente causar isso. Sobre a falta de empatia do Estado para com a população marginalizada. O quanto a mesma sofre com o abuso de autoridade de quem deveria protegê-la. Sobre a situação de meninos, e meninas, como Evan, que só desejavam um lugar para realmente chamar de lar...

"Evan pensa no lugar onde vivia, nos sapatos usados, na comida servida em latas, nos tetos baixos e nas paredes claustrofóbicas. Jack Johns é como um portal para um mundo vasto, amplo, um mundo que Evan sempre imaginou que existisse em algum lugar além de seu alcance. Agora talvez possa haver um lugar até para alguém como ele."

Na trama em questão, que é apenas o primeiro livro de uma série, Greg Hurwitz pode não se aprofundar absurdamente nas questões acima citadas, mas é impossível deixar de pensar nelas quando se lê. Até porque a trama não engata logo de cara por mais que a sinopse entregue isso. Muita gente torceria o nariz para isso, mas a verdade é que o autor coloca as coisas aos poucos por uma razão: ele quer nos convencer de que, apesar das escolhas um tanto nebulosas de Evan, nosso protagonista ainda é um ser humano que chora, ri, se diverte, sofre, etc.

"– Respeite sempre a vida. Assim vai dar valor à sua própria vida. A parte mais difícil não é transformar você em um assassino. A parte mais difícil é mantê-lo humano."

Justamente por ele ser tão humano é que ele escolhe matar pessoas com “costas quentes” e que por conta disso, abusam das pessoas achando que nunca vão ser pegos. Inclusive nos primeiros capítulos é mostrada detalhadamente uma situação onde Evan é contratado por uma jovem para matar um policial corrupto e pedófilo que queria desvirginar a irmã dela de onze anos, coisa que ele fez com outras meninas do bairro. Os detalhes nesse caso são tão horríveis que simplesmente se torna difícil não querer que o Evan acabe com ele de uma vez por todas. Quando você realmente torce para esse protagonista capaz de matar é porque a situação está mesmo feia.

É a partir do fim dessa situação que a trama realmente começa a andar. Ele, em troca de ajudar uma pessoa, quer apenas uma coisa: que a pessoa ajudada encontre outra em uma situação tão ruim quanto e dê o número dele para que a pessoa possa entrar em contato. Entretanto, quando uma mulher chamada Karin White liga implorando ajuda, é nesse ponto que a vida milimetricamente construída do protagonista começa a desmoronar, revelando a ele que suas escolhas o levaram a ter um alvo desenhado nas costas.

No livro inteiro, lidamos com assassinos treinados e altamente impiedosos, muitas cenas de ação frenéticas, momentos ternos envolvendo um menino chamado Peter e sua mãe Mia, uma promotora linha dura que precisa se alternar entre criar o filho sem o pai e colocar criminosos na prisão sem que isso lhe custe mais do que a vida. Além de vários capítulos envolvendo o passado de Evan, onde descobrimos o duro treinamento ao qual ele foi submetido durante uma vida inteira. Tudo isso dentro de uma escrita bem amarrada e sem enrolações. Mesmo a maneira indefesa de Katrin faz sentido, por mais que isso incomode muito durante a leitura. No fim, tudo se encaixa com uma perfeição tal que fica impossível não se admirar com o escritor por ter conseguido fazer uma saraivada de detalhes se completarem de uma maneira coesa e que não deixa o leitor com dúvidas. No meu caso, só me dei conta de uma coisa lá no final embora uma pista já estivesse ali. O que prova que o autor sabe mesmo construir suspense.

Embora o epílogo deixe a gente com aquela cara de quem acha que perdeu alguma coisa durante a leitura, não deixou de ser excelente e abriu espaço para mil e uma perguntas. Aliás, o livro, apesar de ter sido maravilhosa, deixou algumas pontas soltas. No entanto, considerando que Órfão X é apenas o primeiro de uma série, é compreensível que hajam essas brechas para que não falte história para os outros.

Entretanto, a edição e-book da Planeta apresenta um problema sério de espaçamento entre os parágrafos embora isso não atrapalhe a leitura, já que nos acostumamos relativamente rápido com isso. A revisão no geral está impecável, sem nenhum erro ortográfico aparente e a capa combina perfeitamente com a temática do livro.

Com certeza Órfão X é uma leitura recomendada para quem gosta de ação e suspense no melhor estilo 007, Jason Bourne, Missão Impossível e outros. Até a próxima, não entre em pânico e obrigada pelos peixes.

20 comentários:

  1. Olá
    Eu não conhecia esse livro, mas só pela capa a historia me pareceu bem intrigante. Os elementos chamaram muito a minha atenção, com essas questões de assassinos, cenas de ação e afins. Gostaria de poder conferir sim!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Renata!
    Adorei suas divagações inicias. Muito bom quando o livro nos leva a pensar em outras questões pertinentes em nosso próprio cotidiano.
    Acredito que eu ficaria torcendo pelo Evan, mesmo ele mantando pessoas, pois não aquelas que trazem coisas boas para os outros ao redor.
    Já faz um tempo que quero ler esse livro, mas não sabia se eu iria gostar. Sua resenha me confirmou que é o meu tipo de livro. o/ Obrigada pela dica!
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  3. OI Renata, as perguntas que você usou para abrir sua opinião pessoal, foram instigantes e ainda que eu me imaginasse como orfa, não sei qual a reação que eu teria.
    Achei o livor muito interessante e estou curiosa para ler.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Eu ainda não conhecia essa obra, mas wlvovpel o fato de nunca está antenado com os lançamentos da Planeta. Eu sou muito fã do gênero e ver que você indica para os fãs de 007 já me deixou mais do que empolgado para procurar mais sobre o livro. Uma pena que a edição do ebook não esteja das melhores e tal, mas devo dizer que a capa está uma maravilha
    Até mais ver

    ResponderExcluir
  5. Oie! Tudo bem?

    Não conhecia o livro e nem o autor, estou bem por fora de alguns lançamentos, por mais que você tenha feito alguns comentários positivos sobre a obra e que eu seja fã de filmes como 007 etc, esse livro por mais que siga esse enredo parecido aos filmes que você citou, não despertou meu interesse em realizar a leitura do livro. Por isso passo a dica! Mas vou esperar pelas suas resenhas dos próximos volumes!

    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Oi Renata!

    Tudo bem? Não conhecia a obra até ler a sua resenha, achei o tema bem pesado, essa parte do assassinato me lembrou um pouco a série Na Companhia dos Assassinos e mesmo assim o Evan parece ter uma personalidade complexa e isso realmente me atrai em um livro porque nos mostra uma dualidade que todo ser humano possui!

    Uma coisa que me deixou confusa foi você falar que tudo se encaixa no final, mas que o epílogo faz com que o leitor sinta que perdeu alguma coisa, isso meio que deu um nó na minha cabeça hahahahaha

    Beijinhos
    Jessie
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Ainda não conhecia o livro até ler a resenha aqui. Esse livro tem só em ebook?
    Não sei se eu julgaria o Evan, até por ele ter apenas 12 anos. Mesmo tendo essa história toda de assassinatos, devemos ver que Evan também tentou ajudar a mulher. Então ele também deve ter o seu lado bom.
    Espero poder ler em breve.

    ResponderExcluir
  8. Li esse livro assim que foi lançado e adorei! Para mim foi diferente, a trama engatou logo de cara sim, e torci absurdamente pelo Evan desde o início. Fiquei num dilema moral a leitura toda, porque claro que matar é errado, mas quem não ficaria feliz com um pedófilo a menos no mundo, ainda mais se tratando de um policial, que é mais dificil de ser punido pela justiça. Estou louca pela continuação, espero que a Planeta lance logo.

    ResponderExcluir
  9. Gostei da sua resenha, fez parecer o livro muito interessante mesmo!
    Gosto de suspense, mas também gosto de histórias que nos fazem refletir.
    Acho que essa combinação deve ser perfeita com a história.

    Beijos

    Viviana

    ResponderExcluir
  10. Oiee, normalmente não seria o meu estilo de leitura, mas sua resenha e deixou curiosa e me parece ser bem empolgante, com bastante ação, dica anotada e quem sabe eu acabe gostando!

    Bjs Jany

    www.leituraentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi! Preciso dizer que só pelo nome do livro e essa capa eu provavelmente jamais leria essa história, no entanto, agora com sua resenha isso mudou completamente. Além de ser uma história que faz refletir e traz diversas questões que raramente paramos para pensar, parece ser também uma obra repleta de ação e que promete fortes emoções em uma história bem elaborada. Não leria agora porque estou evitando séries que ainda não foram lançadas por completo, mas definitivamente quero ler e descobrir mais como um garoto acabou parando em um mundo assim! Amei.
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Adorei sua resenha. O tempo todo me senti com um nó na garganta. Quanta pressão o personagem não deve ter passado? Fiquei super curiosa, mesmo não sendo muito atraída por livros desse tipo fiquei bem curiosa.
    Uma coisa que contou como ponto positivo para mim é o livro ser cheio de ação. Adoro isso em livros e normalmente são esses que mais me atraem.
    Bjs e obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  13. Oie, tudo bem?

    Não conhecia esse livro mas sua resenha me deixou muito tentada em ler! Eu adoro filmes de ação, principalmente os que você citou no final da resenha, mas por algum motivo até hoje ainda não tive paciência ou sei lá, curiosidade o suficiente para ler algo no mesmo estilo, a proposta do livro parece ser muito legal, já que levanta tantas questões como as que você nos apresentou!

    Realmente para quem gosta do gênero o livro pare ser muito bom!

    Beijos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Seus questionamentos me deixaram muito intrigada para conhecer mais de perto Evan e as escolhas que ele fez, além de também saber quais foram as consequências de todas essas escolhas, afinal você diz ser desagradável.
    Com certeza as pontas soltas são justificáveis, já que é o primeiro volume de uma série e estou bem curiosa para saber o que virá a seguir.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  15. Oie
    eu vi uns comentários e elogios perdidos que me deixaram bem curiosa, eu gosto muito de suspense e depois dos seus elogios, é difícil não ficar curiosa, bela dica

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi gente, como estão?
    MUITO grata pelos comentários de vocês! As palavras de vocês me inspiram a fazer melhor do que antes e me fazem muito grata pela oportunidade que a Stef me deu no blog!
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oi Renata, tudo bem?
    Eu simplesmente amo a forma como você acorda suas resenhas sempre refletindo sobre as histórias que os livros trazem. Adoro histórias com agentes secretos e fiquei curiosa com o desfecho desse livro.
    Claro que quero ler logo
    Bj

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Apesar de o livro não ter tanta ação, eu adoro histórias que trazem reflexões, por isso fiquei interessada pela história, muito mais do que pela premissa em si. Fiquei curiosa para saber sobre essas escolhas sombrias do personagem, parece ser bem intrigante. Essa coisa das pontas soltas, incomoda um pouco, mas por ter uma sequência, acredito que serão amarradas. Vou colocar na lista.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  19. Que capa intrigante, tanto quanto a resenha!

    Acredito que as respostas para suas perguntas variam muito. Eu, Priscila, criada nas condições em que fui criada, com a presença de meus pais, hoje tenho uma carreira boa e um companheiro bom. Devo isso a presença de quem se importou comigo em minha infância...

    Agora, nas condições que Evan parece ter sido criado, talvez eu também aceitasse. Sim... A ocasião faz o ladrão, diz o ditado. E vemos isso claramente nas diversas situações do cotidiano, não é?

    Gostei muito dos pontos que você apontou em sua resenha, eu me interessei bastante pelo livro. Ótima dica!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  20. Olá tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas achei tanto a capa quanto o enredo bem instigantes.o que mais me deixou curiosa em relição ao livro foram as reflexões que ele traz. Acho super valido pararmos para pensar no quanto fatores externos influenciam a nossa vida.
    Gostei bastante da resenha.
    Bjs, Mila

    http://esquadrao-literario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir