07 abril 2017

[Resenha] Cress - Por Marissa Meyer



Título: Cress
[Crônicas Lunares #3]
Autor (a): Marissa Meyer
Páginas: 496
Editora: Rocco
Skoob || Encontre

Sinopse: Neste terceiro livro da série Crônicas Lunares, Cinder e o capitão Thorne estão foragidos e agora levam Scarlet e Lobo a reboque. Juntos, eles planejam derrubar a rainha Levana e seu exército. Cress talvez possa ajudá-los. A garota vive aprisionada em um satélite desde a infância, com a companhia apenas de telas, o que fez dela uma excelente hacker. Coincidência ou não, infelizmente ela também acabou de receber ordens de Levana para rastrear Cinder e seu bonito cúmplice. Quando um ousado plano de resgatar Cress dá errado, o grupo se separa. Cress enfim conquista a liberdade, mas o preço a se pagar é alto. Enquanto isso, Levana não vai deixar que nada impeça seu casamento com o imperador Kai. Cress, Scarlet e Cinder talvez não tenham a intenção de salvar o mundo, mas muito possivelmente são a última esperança do planeta.

Resenha anterior:
Crônicas lunares #1 - Cinder
Crônicas lunares #2 - Scarlet

Em Luna, todas as crianças Cascudas são entregues a coroa para serem mortas. Essa é a pior coisa que poderia acontecer a um casal, gerar uma criança sem o dom lunar, e para o azar de Cress, ela nasceu assim. Ao contrário do que todos são levados acreditar as crianças cascudas não são mortas, mas sim levada para longe e servem aos propósitos da rainha. Cress viveu com outras crianças cascudas até demonstrar habilidades com computadores, e assim, ela foi leva para um satélite no qual faz o papel de hacker vigiando os dirigentes terráqueos.

"- E foi aí que ela levou você para o satélite e você se tornou programadora da rainha.
- Programadora, hacker, espiã... de alguma forma, nunca deixei de acreditar que, se eu fizesse tudo o que ela pedia, um dia ela me soltaria."

Sozinha por anos, Cress abusa de sua imaginação e sonha com inúmeras realidades alternativas, e sua favorita é sobre o Capitão Thorne. Ela nutre uma paixão secreta por ele desde que o viu nos noticiários sobre a fuga dele e Cinder, no qual Cress teve importante papel. Ela acredita que seus sentimentos iriam ser retribuídos assim que Thorne a olhasse, mas claro, isso nunca iria acontecer já que Cress é uma prisioneira.

"- Caramba - murmurou Carswell Thorne. Colocou os pés no chão e se inclinou para a frente a fim de observá-la melhor. - Isso tudo é cabelo?
A ligação desapareceu e a fantasia de um momento perfeito de amor verdadeiro se desintegrou ao redor dela."

Suas esperanças são renovadas quando Cinder entra em contato com Cress buscando algumas informações, e assim Thorne a olha pela primeira vez. Mas ao contrário do que Cress imaginava, Thorne só tinha olhos para seus imensos cabelos que não cortava a anos. Envergonhada, Cress mal consegue falar com Cinder, que propõe que a tripulação a resgate do satélite, e assim, um belo plano é traçado e Cress pela primeira vez na vida vê um futuro. Mas as coisas saem horrivelmente erradas quando Sybil descobre os planos e tenta capturar Cinder mais uma vez, onde termina com Lobo baleado, Scarlet capturada e Thorne e Cress caindo com o satélite na atmosfera terrestre.

"A queda fora lenta no começo, gradual, conforme a força da órbita do satélite era superada pela força da gravidade da Terra. [...]
[...] Mas, em sua mente, a dor era inexistente.
Eles estavam vivos.
Estavam na Terra e estavam vivos."

De alguma forma Cress consegue salvá-los, não antes de Thorne bater a cabeça e ficar cego. Agora na terra e com o fugitivo mais procurado do planeta, Cress e Thorne precisam passar por inúmeras barreiras para conseguir contato com Cinder. Ao mesmo tempo o imperador Kai vislumbra seu terrível destino casado com a Rainha Levana, mas Cinder tem um plano que poderá mudar totalmente o rumo da história.




Cada novo livro que lei da série As crônicas lunares, fico encantada com a forma como Marissa Meyer pega uma estória já existente e faz algo totalmente inovador, porém, mantendo sua essência. Cress é baseado na estória da Rapunzel, e ao invés de uma torre encontramos um satélite na órbita da terra, e a bruxa deu lugar a taumaturga Sybil. A formula é a mesma, mas com o toque todo especial de ficção cientifica gerando uma estória inédita e empolgante.

Narrado em terceira pessoa conhecemos a estória de Cress, mas ao contrário de que acontece em Scarlet, o livro não é tão focado na estória da nova protagonista. Sim conhecemos Cress a fundo, mas a estória de Cinder progride significativamente. Cress é uma jovem ingênua e sonhadora. Ela conheceu a terra através de programas de tv, revistas e filmes, então, quando chega aqui, ela percebe que tudo o que pensou sobre a terra era diferente. A jovem ter vivido por tanto tempo num mundo de sonhos em sua prisão é definitivamente um ponto negativo. Ela confia muito fácil, se apaga muito rápido e se decepciona constantemente. Foi como pegar uma criança pura e mostrar todas as atrocidades desse mundo.

Thorne é mocinho da estória, ou deveria ser. Já o conhecemos da estória de Scarlet, e de cara já fiquei completamente apaixonada pelo seu senso de humor e respostas sarcásticas. Aqui ele mantém tudo isso e ainda conhecemos um lado altruísta que ele jurava não existir. Thorne é um personagem único mas não é o que Cress precisava, e pra ser bem sincera, não esperem um romance por parte dos dois, pois não vão encontrar.

Como disse, a estória de Cinder progredi bastante aqui. Muitas descobertas são feitas, novos aliados são conquistados e planos são traçados. Cinder se mostra cada vez mais forte e determinada, mas agora seu único objetivo não é somente salvar Kai, mas sim ajudar todos os Lunares que precisam dela e nem sabem. Adorei ver essa consciência sendo despertada e ainda mais a forma como ela se demostra devota a seus novos companheiros. Posso dizer sem sombras de dúvida que Cinder está crescendo e se tornando alguém digna de ser rainha.

A estória continua fluindo muito bem e não se perde em nenhum momento onde vemos a estória de Cress sendo desenvolvida e paralelamente de Cinder prosseguindo. O final do livro deixa um gancho monstruoso para a próxima estória e fiquei de queixo caído com os acontecimentos finais. A sagacidade e ousadia da autora não me decepcionou até aqui, então tenho muitas expectativas para o encerramento dessa série que me conquistou tão rápido.

A parte física do livro segue o padrão dos livros anteriores, com letras e espaçamentos em tamanhos confortáveis para se ler. Ele trás folhas amarelas e orelhas em ambas as capas. A capa é minha favorita até o momento e as flores trazem a inocência que Cress apresenta na estória. O titulo na capa é em alto relevo e prateado dando mais sofisticação a obra.

Cress é um livro obrigatório para todos que já leram os primeiros livros. Quando penso que Marissa Meyer não tem mais nada para oferecer ao leitor, ela nos presenteia com Cress provando que eu estava completamente enganada. Uma bela recontagem de Rapunzel o livro é a reta final da estória da ciborgue Cinder. O que será Winter irá trazer?

Nenhum comentário:

Postar um comentário