10 maio 2017

[Resenha] Segredos - Por Nora Roberts



Título: Segredos
Autor (a): Nora Roberts
Páginas: 630
Editora: Bertrand Brasil
Skoob || Encontre

Sinopse: Ela só precisa fechar os olhos para lembrar o dia em que Brian McAvoy entrou em sua vida. Uma criancinha assustada, na ocasião ela mal sabia que era sua filha, nem que o pai era o novo astro em ascensão do rock. Sabia apenas que se sentia segura quando estava com Brian, seus companheiros de banda e sua nova esposa. E, quando seu irmão caçula nasceu, Emma concluiu que era a garota mais sortuda do mundo... até a noite em que uma desastrada tentativa de seqüestro abalou a vida de todos... e destruiu a felicidade de Emma. Agora, entretanto, embora ainda seja atormentada por lembranças daquela fatídica noite, ela vai tocando a vida. Construiu uma fantástica carreira e até ousou ficar perdidamente apaixonada. Mas o homem que se tornará seu marido não é o que parecer ser. E Emma está prestes a despertar para a apavorante certeza de que o mais sinistro de todos os segredos é o que se encontra encravado no fundo de sua memória... um segredo em nome do qual alguém está disposto a ir às últimas conseqüências para que nunca seja revelado.

Cercada pelas agressões físicas e psicológicas de uma mãe alcoólatra, em um apartamento mal cuidado que em nada se parecia com um lar de verdade, era assim que vivia a doce Emma. Aos três anos de idade e apesar de toda a ternura em seu rosto, ela já conhecia muito sobre como o mundo pode ser cruel e nem sempre justo. O único carinho e conforto com o qual ela estava acostumada vinha da companhia de seu velho cachorro de pelúcia, Charlie.

“— Fique quieta, Emma!
Jane passava a escova pelos cabelos louros bem claros da filha. Rangendo os dentes, resistia ao impulso de bater com a escova no bumbum da menina. Não queria perder a calma logo naquele dia, tão importante.
— Vou fazer você bem bonita. Quer ficar bem bonita hoje, não é mesmo, Emma?
A menina não se importava tanto em ficar bonita, não quando as escovadelas da mãe machucavam tanto sua cabeça e o vestido rosa novo a arranhava de tão engomado. Ela continuou a se remexer no banco, enquanto Jane tentava prender os cachos revoltos com uma fita.
— Eu mandei ficar quieta!
Emma soltou um grito quando Jane comprimiu os dedos contra sua nuca, com toda força.”

É justamente durante uma das tentativas de sua mãe, Jane, de usá-la para conseguir dinheiro e, quem sabe, seu antigo amante de volta, o músico Brian McAvoy, que é também o pai que Emma não conhecia até então, que a vida da menina muda para sempre e ela tem, ainda que por pouco tempo, a chance de descobrir o que é fazer parte de uma família de verdade, disposta a cuidá-la e amá-la. Brian, por sua vez, vê sua realidade mudar radicalmente quando resolve ceder aos caprichos de Jane indo até sua casa conhecer a filha que ela diz ser dele, na esperança de que ela lhe deixe em paz e não cause mais problemas para a publicidade de sua banda de rock, Devastation. Porém, devido as semelhanças inegáveis entre ele e a menina, acaba percebendo que contra tudo o que ele acreditava ela é, sim, sua filha.

“Não pôde ver a menina direito, mas apenas que ela se encolhia no canto, os cabelos louros caindo sobre os olhos, alguma coisa preta apertada entre os braços. Ele sentiu o estômago embrulhado, mas tentou sorrir.
— Oi, menina.
Emma comprimiu o rosto contra a coisa preta e peluda em seus braços.
— Sua pirralha insuportável! Vou ensinar você a se esconder de mim!
Jane inclinou-se para pegar a filha, mas foi detida por um olhar de Brian. Ele estendeu a mão e sorriu de novo.
— Acho que não vou caber aí dentro com você. Importa-se de sair por um momento? — Ele viu a menina espiar por cima dos braços cruzados e acrescentou: — Ninguém vai machucá-la.
Ele tinha uma voz muito bonita, pensou Emma, suave e agradável, como música. E sorria para ela. A luz que entrava pela janela da cozinha iluminava seus cabelos louros, fazendo com que brilhassem. Emma soltou uma risadinha e saiu do esconderijo.”

Desesperada pela atenção de Brian, Jane ameaça se matar e levar Emma junto. É então que o cantor toma o que foi provavelmente uma de suas decisões mais difíceis e encantadoras: leva a filha que acabara de conhecer para a vida que ele está construindo com sua noiva, Bev, e o filho de ambos que ela está esperando. Sua casa nova, sua carreira que está no auge, seus amigos e parceiros de banda, Johnno, Pm e Stevie. Todos o apoiam e, aos poucos, a pequena Emma vai deixando de temer a todos os que se aproximam e entendendo que agora ela é uma criança rodeada de amor e carinho. Brian torna-se uma espécie de herói para ela, sempre pronto a cobri-la de mimos e afeto. Bev, ainda que no início tenha relutado um pouco a se apegar a filha de seu noivo com outra mulher, logo estabelece com a menina uma relação suave de mãe e filha com a qual Emma jamais ousara sonhar.

“— Emma...
A voz era firme, mas não havia qualquer indicação de maldade. Cautelosa, Emma ergueu a cabeça.
— Você se machucou?
Ainda cautelosa, Emma apontou para seu joelho. Havia algumas gotas de sangue na camiseta branca. Bev ergueu a bainha. Era um arranhão comprido, mas superficial. Mesmo assim, ela calculou que a maioria das crianças teria chorado. Talvez Emma não chorasse porque não era nada em comparação com as equimoses que Brian encontrara em seu corpo ao lhe dar banho. Num gesto mais automático do que maternal, Bev abaixou a cabeça para beijar o machucado. Quando viu a boca de Emma se abrir em choque, seu coração ficou perdido.
— Muito bem, querida, vamos cuidar disso. Ela pegou Emma no colo.
— Há coisas no escuro — sussurrou a menina.
— Seu pai vai expulsá-las daqui. Não é mesmo, Bri?
Seu espírito irlandês ou talvez a droga deixou-o emocionado quando olhou para a mulher que amava segurando sua filha no colo.”

Se faltava qualquer coisa para que a felicidade de Emma fosse completa, deixou de faltar após o nascimento de seu irmão, Darren, que logo transformou-se no amor de sua vida. Para ela, ele era o bebê mais lindo do mundo. Ela queria estar por perto sempre, cuidá-lo e protegê-lo de tudo. Brian, sua esposa e seus dois filhos eram o retrato da família dos sonhos de qualquer um. Foi apenas três anos depois à chegada de Emma em sua nova vida que toda essa bolha de alegria estourou. Durante uma das muitas festas dadas frequentemente na casa dos McAvoy, o que era para ter sido apenas uma tentativa de sequestro acabou no assassinato do pequeno Darren, agora com três anos. Foi quando tudo desmoronou. Perdida em sua própria dor, Bev afastou-se de seu marido e de Emma, alguém cuja a morte do irmão afetou mais do que podia-se imaginar ser possível. Apesar de ter pouco mais de seis anos na época, a sensação de que talvez pudesse ter feito algo para impedir a tragédia e a certeza de que, ainda que muito bem escondidas, as respostas que a polícia jamais conseguiu encontrar para o que acontecera naquela noite estavam em sua memória nunca abandonaram a menina.

“Ele a beijou na face, na têmpora, na testa, como se isso pudesse de alguma forma atenuar a dor. Para os dois. Pegou a mão da filha.
— Lembra quando lhe contei uma história sobre os anjos, como eles vivem no céu?
— Eles voam, tocam música e nunca machucam uns aos outros. Ele era mesmo esperto, pensou Brian, amargurado, bastante esperto para inventar uma história tão bonita.
— Isso mesmo. E às vezes pessoas especiais se tornam anjos. Brian procurou sua fé católica, e descobriu que pesava demais em seus ombros.
— Às vezes Deus ama tanto essas pessoas que as leva para lhe fazer companhia no céu. É lá que Darren se encontra agora. É um anjo no céu!
— Não! — Pela primeira vez desde que rastejara de baixo da pia suja, há mais de três anos, Emma afastou-se do pai. — Não quero que ele seja um anjo!
— Eu também não quero.
— Diga a Deus para mandá-lo de volta! — exclamou Emma, furiosa. — Agora!
— Não posso. — As lágrimas afloraram de novo; Brian não podia contê-las. — Ele foi embora, Emma.”

Nos anos seguintes, a única coisa que não mudara era que Emma permanecia crescendo cercada pelo amor e proteção de seu pai e seus companheiros de banda. Eles foram sua família. Ainda assim, ela sentia falta de Bev e sabia que não era a única. Seu pai a deixara poucos meses a morte do irmão, quando a dor pareceu erguer um muro alto demais entre os dois. Mudaram-se de cidade. Ainda na infância, Emma conheceu Michael, filho do detetive que investigara o assassinato de Darren e com quem voltou a encontrar anos depois, na adolescência. Foi ele o protagonista dos seus sonhos românticos de menina, mesmo que apenas em sua imaginação. Porém, o destino pareceu fazer questão de levá-los para lados opostos em vários momentos. Mais tarde, no auge de seus vinte anos, tendo se tornado uma decidida e bela mulher, Emma descobre-se apaixonada por Drew Latimer, músico que está engrenando em sua carreira. Após um casamento meio que às pressas, escondido de todos e contra a vontade do pai, ela descobre que aquele que ela julgava ser o homem de seus sonhos pode vir a ser o pesadelo de seu presente e, como se não bastasse, ajudar a despertar seus temores do passado.

“Foi nesse instante que a música começou. Os dedos dela ficaram paralisados no interruptor. Era a canção angustiada e inconfundível que atormentava seus sonhos. Lennon assassinado cantando em sua voz incisiva.
No outro lado da sala, um abajur acendeu. Ela pôde apenas soltar um gemido, cambaleando para trás. Por um momento, um rosto flutuou em sua mente, um tanto indistinto, quase reconhecível. E, depois, ela viu Drew.
— Olá, Emma querida. Sentiu saudade de mim?
Ela saiu de seu transe e correu para a porta. Drew foi rápido. Sempre fora rápido. Com um movimento da mão, derrubou-a para o lado, fazendo a bolsa voar. Ainda sorrindo, Drew foi empurrar a tranca de segurança e passar a corrente.”

Emma tem de lidar com as lembranças dolorosas que nunca mostraram a cara por inteiro, mas que jamais deixaram de rondar sua mente, além dos traumas que as experiências trágicas com seu marido estão prestes a lhe trazer. Ela contará com a ajuda de sua melhor amiga e colega de apartamento por vários anos, Marianne, a Devastation, sua família de sempre, pessoas que o destino colocará em seu caminho e outras que trará de volta. Brian McAvoy estará ao lado da filha nessa longa jornada em busca a superação da dor a qual nunca se livraram e das que ainda virão. Juntos, eles farão descobertas perigosas e encontrarão um no outro, cada um à sua maneira, possibilidades de fazer com que um passado que não pode ser concertado ou esquecido possa se transformar, quem sabe, no futuro que há tempos lhes fora roubado.

O livro é contado em terceira pessoa e dividido em 45 capítulos.






Eu terminei de ler Segredos e só conseguia pensar em sair indicando ele para toda e qualquer pessoa que cruzasse meu caminho. Talvez eu seja suspeita para falar, claro, já que sou uma das fãs loucas apaixonadas pelas tramas da Nora. Mas confesso que esse livro foi mais do que eu esperava. Me levou além do que eu já sabia conhecer e amar da autora. É uma história triste, de certa forma, pois gira em torno de uma tragédia. Mas também são páginas e páginas de companheirismo, cuidado e amor. Desde o início, quando Brian e todos à sua volta acolhem Emma com tanto carinho, até o fim, quando observamos claramente ela retribuir todo esse carinho com seu jeito de cuidar e se preocupar com as pessoas.

Para mim, um dos pontos mais positivos foi o tamanho do suspense e o seu desenrolar. A autora nos dá, sim, indícios de quem possa ter sido o culpado pela morte de Darren. Mas jamais uma certeza. A gente fica, até o fim, imaginando várias coisas e suspeitando de várias pessoas, até daquelas que a gente mais gosta, o tempo todo. Eu fiquei. Há momentos em que o mistério torna-se tão intrigante que sair de perto do livro parece impossível. Já pontos negativos não encontrei a serem destacados.

Em relação aos personagens, Emma sem dúvidas foi uma das minhas favoritas. Quando criança, sua personalidade meiga é encantadora e sua relutância em se aproximar das pessoas como um instinto de autoproteção me fez ter vontade de entrar na história e cuidar dela. Já adulta, o que mais me impressionou foi que, apesar de nunca ter perdido sua aparência frágil e de ainda levar consigo alguns medos da infância, ela se revela uma protagonista cheia de força e garra quando trata-se de proteger a si mesma e aqueles que ama. Você me surpreendeu, Emma. O mocinho da história, Michael, é doce e fofo e dá vontade de abraçá-lo em vários momentos. Mas preciso admitir que eu desenvolvi uma paixão especial pelo Brian. Seu jeito tantas vezes errado de tentar fazer a coisa certa ganhou meu coração. Falando nisso, Brian e Bev, ainda que não tenham sido o casal principal, me encantaram demais. A intensidade do sentimento entre ambos era palpável, mesmo quando estavam separados. Eu torci, vibrei e chorei por eles o livro inteiro. E, claro, não poderia deixar de comentar a respeito das personalidades peculiares dos integrantes da Devastation, tão diferentes entre si e extremamente cativantes. Johnno, que a princípio escondia sua homossexualidade pensando na imagem da banda, mas que lá para o meio da história arranjou um parceiro tão queridinho quanto ele. Seu jeito terno e brincalhão fizeram com que fosse um dos meus preferidos. Johnno é uma espécie de confidente para Emma. Stevie, quem eu considerei o cafajeste do grupo e o que teve de enfrentar problemas graves com drogas, mas que por baixo dessa fachada tem um coração gigante de alguém que se importa e se emociona. E Pm, que por nem um motivo especial foi o que menos me chamou atenção entre os meninos do grupo. Sua característica mais marcante, talvez, seja a paixão secreta que ele mantêm pela mulher do amigo.

Segredos é um enredo envolvente que mistura personagens incríveis, doses de romance, drama e muito suspense. Trabalha sentimentos como aceitação, confiança, amor e perdão, aos outros e a si próprio. Não é a primeira vez que termino um livro da Nora e o considero um dos meus favoritos. Mas acho que esse não vai mesmo sair do topo.

20 comentários:

  1. Ola
    Gosto muito da autora e tenho vontade de conferir esse título, especialmente depois de ler sua resenha tão motivadora. Bom saber sobre o lado do suspense, gosto muito desta inserção, ainda mais porque conheço a narratica da Nora Roberts e sei bem o quanto ela pode ser persuasiva. Não tenho dúvidas de que deve ser uma trama envolvente sim.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Desconhecia a obra e ainda não tive nenhum contato com a escrita da Nora.
    Com certeza Emma passou por maus momentos e seu pai levá-la para então começar a cuidar dela foi uma escolha muito inteligente, mesmo que ele já estivesse teoricamente com a vida estruturada.
    A trama parece ser envolvente e agradável de ler mesmo com essa carga mais pesada por conta dos problemas de Jane.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  3. Oie, tudo bom?
    Nossa, que trama linda!
    Tanta coisa em um enredo só! Abuso da mãe, adaptação a nova família do pai, perda do irmão. Adorei saber que Nora Roberts tem esse talento todo pra inventar histórias. Mal posso esperar pra conferir a obra!

    ResponderExcluir
  4. Ainda não conheço as obras da Roberts, mas sua resenha despertou o interesse!

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Nossa, esse livro realmente parece ser impactante e incrível.
    Fico imaginando como é para uma criança finalmente sair de um lar no qual não havia nenhum amor para ir à um com muito amor por todos os lados e do nada acontecer algo que iria a marcar pra sempre assim.
    Fico imaginando o misto de sentimentos que deve ser esse livro, realmente uma leitura que se deve indicar pra todo mundo

    ResponderExcluir
  6. Oi, Isabella!
    Li apenas da Nora o "Um Novo Amanhã", que eu acabei não gostando. Talvez eu não tenha lido o livro certo para me fazer gostar dela.
    Ainda quero ler esses livros da autora que envolve suspense. Esse parece uma boa pedida já que você não encontrou ponto negativos para destacar. Já é um avanço para me fazer querer ler os livro da Nora.
    Obrigada pela dica!
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Nossa, eu quase chorei lendo a sua resenha, mas tudo bem kkk A Nora é uma das minhas autoras favoritas e depois da sua resenha eu realmente quero muito ler. O início com certeza vai me arrancar muitas lágrimas, porque eu não consigo entender como uma mãe pode fazer o que a mãe da Emma fez com ela. A protagonista parece ser muito forte, e esse é um ponto a favor.
    E por se tratar de um livro dessa autora maravilhosa, já adicionei a minha lista.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Isa,
    Gostei muito da sua resenha e achei engraçado porque tambem ja tive vontade de sair por aí contando para as pessoas sobre um livro que eu gostei. hahaha
    Infelizmente eu não curto muito o estilo da Nora Roberts, apesar de admirá-la como uma grande escritora. è só o gênero dos livros dela que não me agradam. Enfim, foi bom conhecer um pouco sobre o livro.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  9. Oi. :)
    Apesar de não curtir nenhum pouco leituras que envolvam suspense, o que minha Diva escrever eu vou ler rs.
    Já comprei esse livro, ansiosa pra começar a leitura assim que estiver com ele nas mãos.
    Adorei sua resenha, Nora nunca decepciona. A mulher foi feita pra encantar, fascinar e nos fazer amar cada personagem e estórias incríveis que só ela sabe escrever.
    Obrigada pela visita no Blog As Meninas Que Leem Livros.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Olá!!
    Tenho esse livro aqui mas ainda não tinha lido e também nunca tinha visto nenhuma resenha dele,apesar de não ser um livro recente sempre tive vontade de ler afinal Nora é Nora né..mas sempre colocava outros na frente e adoro livros assim de suspense que a Nora escreve..No momento estou lendo Lua de Sangue e Segredos vai ser o próximo :)

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2017/05/resenha-mentira-perfeita-carina-rissi.html#comment-form

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Nunca li nada da Nora e confesso que os livros nunca me chamaram atenção , até ler essa resenha!

    Não sabia que ela escrevia com uma carga emocional tão grande assim, fiquei curiosa para saber mais da sua escrita e desvendar os segredos dessa história, muito obrigada pela dica!

    Beijos
    Jess
    www.pintandoasletras.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi.

    Você acredita que eu nunca li nenhum livro da Nora Roberts? Sempre tive muita curiosidade com relação aos livros dela, sempre tive vontade de comprar, mas nunca comprei... Mas já separei alguns títulos que quero ler ainda este ano, e vou tentar lê-los todos até o final de 2017.

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não li nada dessa autora e apesar dela ser muito bem comentada, confesso que não tenho tanta curiosidade assim com suas obras e de cara fiquei com uma certa preguiça desse livro, pois ele é bem "gordinho", né? kkkk Mas lendo seus comentários deu para perceber que é realmente uma obra muito bem construída e bacana. Imagino que seja muito bonito acompanhar todo o acolhimento que Brian e todos os outros dão à Emma, além disso, ela parece ser uma personagem muito cativante também.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Só pela resenha já percebe-se que é uma leitura bem emocionante. Nunca li nenhum livro da autora, mas como é uma das mais aclamadas da literatura mundial, os livros dela devem ser muito bons.
    Como ando bem pra baixo ultimamente não farei a leitura agora, mas deixarei a dica anotada para quem sabe mais tarde eu possa ler.

    ResponderExcluir
  15. Oi Isabela, tudo bem?
    Eu tenho uma curiosidade imensa em conhecer as obras da Nora Roberts. Apesar de ter tantos livros publicados, ainda não tive a chance de conhecer nenhum. Não havia ouvido falar desse livro, mas após ler a sua resenha ele entrou na minha wishlist. É realmente triste tudo o que Emma vivenciou desde a infância e também o que irá vivenciar. Adoro quando os autores lançam um mistério na história e faz os leitores ficarem desconfiados até dos personagens mais amáveis. Já estou curiosa para descobrir quem assassinou Darren.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Eu até gosto do gênero, adoro um suspense em um trama, mas confesso que essa história não chamou muito a minha atenção, talvez pelo plano de fundo. Sem contar também que tenho lido muitos livros do tipo, posso acabar enjoando hahaha.

    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
  17. Oie...
    Adorei sua resenha!
    Também gosto muuuito das tramas da Nora, mas, infelizmente, ainda não tive oportunidade de ler esse :(
    Fiquei bastante curiosa sobre esse suspense todo e o seu desenrolar ao longo da trama e também fiquei curiosa pra conhecer Emma.
    Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Eu adorei a sua resenha! Também sou louca pelas obras da Nora, mas ultimamente não ando conseguindo ler nada dela. O suspense também foi o ponto alto para mim, já que gosto muito de histórias onde não temos certeza de quem é o assassino. Dica super anotada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Oiee Isabela ^^
    Já vi muitos livros da Nora, mas esse eu ainda não conhecia. Fiquei surpresa com a quantidade de páginas *-*
    Eu cheguei a ler "Álbum de casamento", primeiro livro do quarteto de noivas, mas sabe que não gostei muito? Depois disso decidi que não queria mais ler os livros da Nora, mas como ela escreve de tudo, acho que vou desistir só dos romances...haha' Esse livro parece ser incrível, ver que você gostou tanto e que indica para todos (tão bom quando isso acontece, né?) me deixou mega curiosa.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  20. Nora Roberts tem um dom para escrita fora do comum.de romances fofos a romances policiais.a drama familiar
    Ela aurora a cada dia mais na escrita!
    Tua resenha ficou espetacular .bem detalhada
    E me deixou com imenso desejo é cuidar da Emma.
    Como passar por tantas coisas e ainda seguir encantadora
    Vou ler este livro o mais breve possível e volto para te contar o que achei!

    ResponderExcluir