17 julho 2017

[Resenha] Mauricio - A história que não está no gibi - Em depoimento a Luís Colombini



Título: Mauricio - A história que não está no gibi
Autor (a): Mauricio de Sousa - Em depoimento a Luís Colombini
Páginas: 304
Editora: Sextante
Skoob || Compre || Encontre

Sinopse: A paixão pelos quadrinhos começou ainda criança, no interior de São Paulo. Foi com alguns gibis encontrados no lixo que aprendeu a ler e a sonhar.
A vida não era fácil e Mauricio desde cedo precisou trabalhar para ajudar em casa. Encarou os mais diversos empregos – de datilógrafo a repórter policial – até resolver se dedicar totalmente aos desenhos e acreditar, contra tudo e todos, que poderia tirar seu sustento daquilo que mais amava fazer.
O esforço valeu a pena. Suas criações ganharam o Brasil e boa parte do mundo, abrindo portas e lhe rendendo prêmios. A Mauricio de Sousa Produções já vendeu mais de 1 bilhão de gibis, criou quase 400 personagens e tem mais de 3 mil produtos licenciados. E a Turma da Mônica é hoje uma das marcas mais fortes do país.
Agora ele conta, com a mesma graça, inocência e alegria de suas revistinhas, todas as suas aventuras, travessuras e os planos nem tão infalíveis assim: a entrada na lista negra da imprensa em plena ditadura, os personagens que nunca foram publicados, a peça teatral que foi um fiasco e o momento em que quase foi à falência.
Também compartilha o processo de criação de uma revistinha, o que fez para transformar tantos sonhos em realidade e como, até hoje, continua se reinventando.

Em 27 de outubro de 1935, a terra tremeu na pequena cidade de Santa Isabel, perto de Mogi das Cruzes, interior de São Paulo. Não era, porém, um terremoto como aqueles sobre os quais a gente aprende na geografia da escola. Era um sinal de que algo realmente grande havia acontecido...
O nascimento de uma criança. Um menino chamado Mauricio. Grande, gordinho, bonito, filho de um casal não oficialmente casado, Antônio Mauricio de Souza e Petronilha Araújo de Souza, algo na época considerado um escândalo.

"Tudo que está na minha biografia é verdade, aconteceu mesmo, ou eu acho que aconteceu."

Ele cresceu cercado de muita cultura. Livros, quadrinhos, música, jornal, desenho. Até mesmo cantou em muitos concursos de rádio devido às insistências da mãe e muitas coisas aprendeu com o pai, poeta, barbeiro, ativista, tudo. Porém, foi no lápis, carvão, tinta e papel que encontrou o seu lugar na vida. E assim ele segue até hoje...

"Quando ele veio para esse mundo,
Ele não atinava em nada
Hoje ele é Mauricio
Mauricio de Sousa, iê... Meus camarada!"







Começo a resenha já dizendo que essa é a minha leitura favorita do ano. Com certeza farei outras e já tive muitas esse ano, mas esse livro me cativou de tal forma que vai ser impossível alguma outra desse ano roubar o lugar que ele conquistou, com glória, no meu coração.

Simplesmente porque Mauricio de Sousa tem um lugar no coração de milhares de brasileiros que um dia foram crianças e passaram a infância e até mesmo a adolescência, quem sabe a vida adulta, lendo os quadrinhos da Turma da Mônica e a turma do Chico Bento, além dos outros mais de 400 personagens criados por ele. Sejam francos, gente: qual de vocês nunca leu? Duvido que alguém não tenha lido. Pelo menos uma edição dessas turminhas meio mundo leu, nem que tenha sido para falar que não gostou embora eu ache difícil alguém não ter amado.


No entanto, não é apenas disso que esse livro trata. Essa biografia, na edição nada menos que maravilhosa publicada pela Editora Sextante, é toda contada pelo próprio Mauricio de Sousa, em um depoimento lindo e emocionante ao jornalista Luís Colombini.

Lógico que eu não poderia, antes de comentar mais a fundo a publicação, deixar de elogiar a linda edição física do livro, com páginas amareladas, boa fonte de leitura e revisão impecável. Sinceramente, a história de um homem tão extraordinário como Mauricio não poderia ser editada de qualquer jeito. Absolutamente, a Sextante merece todos os elogios pela edição e pelo conjunto, caprichosamente depositada em uma caixa preta, onde ela foi enviada à minha casa. Um luxo pura e simplesmente, com direito até a um pôster da capa, que eu não tive coragem de colar na parede porque não queria estragar.

O depoimento em si é um sincero exemplo de quando alguém realmente quer realizar um sonho, vai atrás dele independente da opinião alheia. Além de que, quando a pessoa realmente tem caráter e acredita no que faz, nem precisa de muito para conquistar a confiança de meio mundo.

O que é mostrado nas páginas desse lindo livro através das muitas vezes em que Mauricio não esconde a profunda gratidão pelo empresário-jornalista Otavio Frias de Oliveira, a pessoa que muito o ajudou na carreira de desenhista (cartunista) e mais tarde na de empresário. Naturalmente, o começo do então jovem Mauricio de Sousa não foi nada fácil, inclusive uma pessoa, cujo nome ele não cita mesmo tendo chance para isso, disse a ele: “Desista menino! Desenho não dá dinheiro nem futuro pra ninguém. Vá fazer outra coisa da vida.” “Porque ele não fez isso?”, imagino que vocês me perguntarão. Simples: a esposa do homem em questão pediu para não ver o marido mencionado e Mauricio, sendo a pessoa maravilhosa que é, fez. Se isso não é ser uma pessoa de caráter, pergunto o que é ser assim. E desafio vocês a me responderem.


Tanto é assim que ele não tenta florear as coisas ou se fazer de santo para ficar bem na fita com todo mundo. Ele conta tudo mesmo. Até quando teve um filho fora do casamento e que ele assumiu sem nem piscar. Muita gente com certeza se espanta considerando o número de homens que fazem filho e não tem a hombridade de reconhecer. Bem, o Mauricio de Sousa reconheceu o menino, filho de uma funcionária dele na época. Inclusive o Marcelo, hoje com 19 anos, foi criado junto com o pai e os outros filhos, os da Alice Takeda, a atual esposa dele. Com quem ele se casou em 1973 e se separou em 1998, devido a essa infidelidade, e reatou em 2005, embora ele não comente isso de modo exato, resumindo a situação a “que custou uma crise no meu casamento”. Convenhamos que “crise” não é a palavra, mas, não acho que ele é obrigado a detalhar o que com certeza foi uma fase difícil, já que Alice, segundo ele, é o grande amor da vida dele.

Entretanto, Alice Takeda, ou Alice K, como ela é mais conhecida no meio artístico gráfico, não foi a primeira esposa dele. O criador da Turma da Mônica se casou duas vezes antes de ancorar o coração e a vida com a nissei mais conhecida da biografia de Mauricio.

O primeiro casamento foi com a fotógrafa Marilene Spada, de 1958 a 1970, com quem ele teve as filhas mais velhas, Mariângela, Mônica e Magali e um filho, Mauricio, infelizmente falecido ano passado aos 44 anos devido a um infarto. Cuja morte ainda não foi muito aceita pelo Mauricio Sênior, que inclusive preferiu não falar muito do rapaz para com certeza não se debulhar em lágrimas. O que é muito compreensível.


Confesso, no entanto, que embora eu ame esse livro, não consegui entender muito bem essa parte do quarto filho, nascido em 12 de maio de 1971. O que me faz supor que, quando ele se separou da Marilene, falecida em 2011, ela estava no começo da gestação ou ainda não soubesse que estava grávida. Ou talvez eles tenham ensaiado uma volta, mas que acabou não dando certo e gerando um fruto. O que naquela época era extremamente comum, devo dizer, especialmente porque o divórcio tal como conhecemos só seria implantado em 1977. Sim, pessoal, muitos dos personagens que conhecemos do Mauricio de Sousa foram inspirados em todos os dez filhos que ele teve. Meu Deus, dez?! Sim, além de onze netos e dois bisnetos.

O segundo casamento que durou pouco mais de um ano e gerou as gêmeas Vanda e Valéria, foi com Vera Lúcia Signorelli, falecida em 1971, em um acidente de carro. Embora ele fale consideravelmente dessa época, ele não a detalha muito por ter sido particularmente triste. Apesar de que a presença das filhas mais velhas, que foram passar um tempo com ele depois do falecimento da Vera, com certeza ajudou a amenizar a dor pela perda da mãe das até então meninas mais novas.
O terceiro matrimônio, com Alice Keiko Takeda, aconteceu em 1975, embora eles tenham se conhecido quando ela pediu emprego no escritório de Mauricio em 1968, aos dezenove anos. Não vão pensar que a história deles foi fácil porque não foi mesmo. Até noivo dela tinha na jogada e a mãe do cartunista não aprovava que o filho se juntasse com uma moça catorze anos mais nova e descendente de japoneses. Como eu disse antes, Mauricio não tenta disfarçar as coisas ou deixá-las mais bonitinhas, o que ganha pontos com os leitores que gostam de ouvir a verdade. Ele abre o jogo contando que até eles finalmente “juntarem os trapinhos” (Mauricio nunca se casou de papel passado, todas as uniões dele podem ser classificadas hoje como “união estável”) foi uma série de desentendimentos profissionais e aproximações complicadas.

Já que naquela época uma moça, ainda mais de família tradicional japonesa, nem podia cogitar trocar de noivo ou se amasiar com uma pessoa sem casamento oficial. Ainda mais se ele fosse um cara brasileiro de quarenta anos, mas ela foi lá e fez, indo morar com ele em 1975. Os dois tiveram três filhos, nascidos a partir de 1985: Marina, Mauro e Mauricio.


Além da vida pessoal cheia de familiares que o ajudaram muito, o monte de filhos, as separações e complicações típicas de quem vive tanto e faz tudo o que ele fez, o que nos deixa impressionados na leitura é a imensa perseverança dele em construir a carreira como desenhista. E dos muitos percalços que o sucesso trouxe a ele, que também se tornou empresário quando a Mauricio de Sousa Produções oficialmente nasceu, em meados dos anos oitenta. E óbvio, ele comenta de alguns episódios nem tão louváveis assim da vida dele, mas, como todos nós, ele também teve seus momentos ruins e não quis escondê-los de quem quisesse saber.

Só para terem uma pequena ideia, porque quero todo mundo comprando o livro e lendo, do que o Mauricio teve de fazer, ele viajava carregando um monte de clichês, que são placas de madeira nas quais os desenhos, forjados em metal, são fixados para a impressão. Que no começo dele foram nada menos que 118 e ele carregava na força do braço por vários locais do interior vendendo o trabalho dele para quem quisesse publicar e pagar. Só imaginem em quantos lugares inóspitos ele não passou a noite. Pensem em quantas vezes ele ficava sem comer ou mal dormia para não se atrasar. A quantidade de dores na coluna ou nos braços em razão de carregar todo esse peso. Nas vezes que ele ficava sem ver a família. Naquela época, telefone custava uma fortuna, internet não existia, o serviço dos Correios era tenso (ainda hoje é) e uma viagem virava uma aventura, ainda mais porque estrada pavimentada em muitos locais era ainda um sonho remoto e viajar de avião era caro demais. Devo comentar, o trabalho foi o motivo da primeira separação dele, pois ele não esconde que o amor dele por esse mundo gráfico custou a ele muitas ausências de casa e da vida das filhas ainda pequenas.

Sinceramente, tudo isso que eu escrevi não é nem perto do que vocês vão encontrar no livro. O que eu senti lendo também não pode ser descrito com palavras e tentar resumir aqui todos os pontos deixaria essa resenha mais comprida que a escada do Chapolin Colorado e também, deixaria vocês sem vontade de ler porque eu estaria entregando tudo de bandeja.


Agora pergunto: qual a desculpa dessa gente que fica dizendo que não tem tempo de fazer tudo o que gostaria? A gente tem TUDO nas mãos hoje e só não usa se não quiser. Certo, tem muita gente sem acesso a esses recursos, infelizmente, mas essas pessoas, quando são realmente criativas e querem fazer a diferença, usam até papel higiênico para produzir. Afinal, quem não conhece Malala, aquela encantadora menina, hoje moça de quase vinte anos, que quase morreu por acreditar que a educação é a principal porta para um mundo melhor?

No fim, eu só tenho uma recomendação a fazer: leiam esse livro com todo o amor do mundo e toda a vez que vocês se sentirem tristes ou desmotivados, abram uma página dele e pensem que Mauricio teve também um começo difícil, mas que no fim, compensou todo o esforço. Um livro maravilhoso que eu altamente recomendo para quem quer conhecer a maravilhosa figura chamada Mauricio de Sousa.

E Mauricio, eu só tenho uma coisa a te dizer: muito obrigada por ter feito a minha vida e a de tanta gente a mais feliz possível. Que mais gente igual a você surja no mundo porque ele precisa de mais amor e perseverança.




16 comentários:

  1. Oi tudo bem?
    Não sou muito de ler biografias mas vou te disser que estou curiosa para ler essa desde o lançamento afinal a turma da Mônica fez parte da minha infância, sua resenha me deixou ainda mais curiosa para a leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ola
    É dificil que nunca tenha lido algo ou ao menos tenha ouvido a respeito do autor né? Sobre essa obra, eu não tinha lido nada antes, mas não tenho dúvidas de que deve ser uma leitura incrível e muito cativante, pelo que pude compreender em suas impressões. A pessoa quando quer fazer a diferença consegue fazer mesmo, não importam as dificuldades. Adorei a sua resenha!
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    UAU! Não sei nem o que dizer mediante a palavras tão elogiosas e carregadas de uma emoção inspiradora. Só sei que, depois de ler todos os seus comentários sobre esse livro que conta a vida do Mauricio, me encontro sedenta de vontade de ler ele. E também me sinto na necessidade de agradecer ao Mauricio por tudo de bom que ele nos proporcionou: OBRIGADA, MAURICIO DE SOUSA! ♥
    Parabéns pela resenha incrível!

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem?
    Eu só ouvi falar bem desse livro do Maurício, todo mundo ama conhecer um pouco mais sobre ele e eu confesso que seria de grande importância pra mim também, já que desde criança eu acompanhava os gibis e tudo mais, mas nunca me afundei na história de quem está por trás de tudo isso.
    Adorei sua resenha sobre o livro, assim que eu tiver a oportunidade, com certeza lerei ele sim.
    Parabéns pelo blog, bjks <3

    ResponderExcluir
  5. Oi Renata
    Maurício de Sousa é um gigante. Minha formação como leitora se iniciou com os gibis da turma da mônica e acredito que gerações puderam ter acesso a leitura por ele.
    Adoro biografias e certamente fiquei curiosa para saber mais detalhes. Sua resenha está incrível e se não chega nem perto da quantidade de detalhes, com certeza vale a pena ler.
    Adorei a dica.
    Beijinhos
    Rizia Castro - Livroterapias

    ResponderExcluir
  6. Consegui perceber a sua emoção ao descrever sua experiência de leitura e tenho quase certeza que também me emocionarei ao ler o livro porque Mauricio de Souza fez parte da minha vida inteira e agora faz parte da vida do meu filho. Adorei as fotos que você compartilhou, a edição está realmente maravilhosa.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Renata!
    Adoro os quadrinho do autor desde criança!
    Que história! Fico muito feliz por Maurício não ter desistido de seu sonho e ter feito a minha infância tão feliz. <3 Uma das minhas primeiras lembranças de leitura foram esse gibis tão maravilhosos! <3
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  8. Oie! Tudo bem?

    Quando vi o lançamento desse livro surtei, cresci lendo os Gibi do Mauricio e até hoje tenho eles guardados, são relíquias mais que meus livros com toda a certeza em algum momento irei realizar a leitura dessa obra, conhecer um pouco mais desse autor tão amado por todos!

    Bjss

    ResponderExcluir
  9. Olá Renata,
    Estou louca de curiosidade para ler esse livro, pois adoro o Mauricio de Souza, mas não pude comprar esse livro. Fico contente por ele ter despertado tantas emoções em você e achei muito legal a questão que esse livro fez você refletir sobre nossa falta de tempo.
    Espero ler esse livro para ontem!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bom?
    Eu AMO Mauricio de Sousa, até porque Mogi das Cruzes é a minha cidade e eu tenho um orgulho muuuito grande de saber que um dos maiores autores do Brasil cresceu no mesmo lugar que eu. Quero muito ler sua biografia, apesar de já saber muito de sua história. Adorei sua resenha!

    ResponderExcluir
  11. OIE...
    Adorei a resenha!!!
    Maurício preencheu muitas tardes em minha infância... Lembro que sempre que voltava da escola pegava meus gibis e lia até anoitecer... Sem dúvida foram momentos muito importantes para me tornar a leitura assídua que sou hoje.
    Gostei bastante dessa obra e, é claro, que quero ler... Já vou providenciar meu exeplar ;)
    Bjo

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Vou te confessar que gosto das historinhas da Turma da Mônica até hoje hahaha. Marcou minha infância e, mesmo lendo esses quadrinhos muito raramente, eu ainda me divirto sempre que leio.
    Não fiquei com muita vontade de ler esse livro, porque não gosto muito de ler biografia. No entanto, pelo carinho que tenho pela obra dele e por todos os elogios que você fez, vou deixar a dica anotada para outro momento. A história dele parece ser muito inspiradora mesmo e, como você mesma disse, mostra que quando uma pessoa quer mesmo fazer algo que gosta usa toda sua criatividade para conseguir.
    Adorei sua resenha, ficou super completa, e deixarei a dica anotada para outro momento.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi!Comecei a ler bem cedo os quadrinhos da turma da Mônica, então sou uma fã declarada dos quadrinhos do Mauricio . Ainda não li essa biografia, mas espero com certeza um dia ler e como resistir a essa obra lindíssima ? Dica anotada, abraços

    ResponderExcluir
  14. Oii.
    Eu já fiquei louca por esse livro quando você mandou as fotos pelo whatsapp. O cuidado que a editora teve com a edição e com todos os detalhes dos brindes já demonstra que se trata de uma obra fantástica.
    Lendo sua resenha fiquei com muita vontade de conferir a obra. Parece ser um motivador e tanto para quem, assim como eu, está passando por momentos difíceis.
    Com certeza pretendo ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Oi Renata... acho que você começou a resenha dizendo uma coisa que é verdade. Acredito que no mundo não tenha uma pessoa que nunca leu nada do Mauricio. Sou fã do seu trabalho e o amo muito, de verdade.
    Quando eu vi essa biografia fiquei muito tentada em compra-la, mas relutei e estou me arrependendo desse exato momento :/
    Adorei a sua resenha e eu não tinha o conhecimento da metade das coisas que você nos contou aqui.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  16. Aprendi a ler com os gibis da Turma da Mônica. Amava os gibis grandões com as atividades, eu fazia todas e pintava o livro todo!

    Lia toda noite para minha avó, li para minha irmã... tenho uma relação extremamente afetiva com a Turma da Mônica. Fiquei tentada a ler esse livro para conhecer mais do criador da turma do Bairro do Limoeiro, espero que as crianças de hoje continuem a ler e aprendam tanto quanto nós aprendemos.

    Abraços!
    As meninas que leem livros

    ResponderExcluir